alemas       EN00354_

 

Lista de Acordes

Cifras a-b / q-z

Cifras b-d

Cifras d-f

Cifras f-m

Cifras m-o

Cifras o-s

Cifras s-v

Cifras Novas

Paralelas

Galos, Noites e Quintais

Hora do Almoço

Quando Te Vi

Amor de Índio

Maria Solidária

Sol de Primavera

Lumiar

O Sal da Terra

O Medo de Amar é o Medo de Ser Livre

Aguardente

Neném

Toada

Quem Tem a Viola

Tigresa

Sampa

Alegria, Alegria

London, London

Partido Alto

Você Não Entende Nada

Rapte-me, Camaleoa

Felicidade

Qualquer Coisa

Menino Deus

Podres Poderes

Eclipse Oculto

O Leãozinho

Não Identificado

Lua de São Jorge

Força Estranha

Baby

Meu Bem, Meu Mal

Sorte

Vaca Profana

Você é Linda

Desde Que o Samba é Samba

Menino do Rio

Lua e Estrela

Faz Parte do Meu Show

Codinome Beija-Flor

O Que Será ? (à flor da pele)

Roda Viva

João e Maria

Valsinha

Mulheres de Atenas

Tanto Amar

Cotidiano

Cálice

Iolanda

Flash Back

Muito Estranho

O Canto da Cidade

Meu Bem Querer

Sina

Oceano

Flor de Lis

Pavão Mysteriozo

Fascinação

Romaria

Madalena

Casa no Campo

Como Nossos Pais

O Bêbado e a Equilibrista

Canteiros

Revelação

Eternas Ondas

Canção da Despedida

Disparada

Prá Não Dizer que Não Falei das Flores

Não Chores Mais

Xodó

Marina

Se Eu Quiser Falar com Deus

Super-Homem, a Canção

Esotérico

Vamos Fugir

Tempo Rei

A Paz

Meu Mundo e Nada Mais

Brincar de Viver

Planeta Água

Êxtase

Pedacinhos

Cartomante

Bandeira do Divino

Mestre-sala dos Mares

De Frente pro Crime

Nada Por Mim

Pintura Íntima

Como Eu Quero

Paixão

Fonte da Saudade

Trova

Deu prá ti

Será

Ainda é Cedo

Quase Sem Querer

Tempo Perdido

Faroeste Caboclo

Há Tempos

Meninos e Meninas

Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto

Pais e Filhos

La Solitudine

Strani Amori

Me Chama

Corações Psicodélicos

Tudo Azul

Tudo Bem

Tão Bem

Casa

Certas Coisas

De Repente Califórnia

Um Certo Alguém

Minha Vida

Areias Escaldantes

Tempos Modernos

A Cura

O Último Romântico

Como Uma Onda

Bem Que Se Quis

Cavaleiros do Céu

Bailes da Vida

Maria, Maria

Travessia

Caçador de Mim

Canção da América

Solar

Cio da Terra

Preta Pretinha

Meninas do Brasil

Lá vem o Brasil Descendo a Ladeira

Pombo Correio

A Lua

Vira Virou

Amigo é prá Essas Coisas

O Patrão Nosso de Cada Dia

Sangue Latino

Bandoleiro

Balada do Louco

Bandolins

Agonia

Intuição

Lua e Flor

O Condor

Um Violeiro Toca

Caleidoscópio

Romance Ideal

Lanterna dos Afogados

A Novidade

Você

O Beco

Assaltaram a Gramática

Uma Brasileira

Saber Amar

Linda Juventude

Planeta Sonho

Nova Manhã

Todo Azul do Mar

Mesmo de Brincadeira

Gitã

Metamorfose Ambulante

Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás

Maluco Beleza

Trem das Sete

Doce Vampiro

Desculpe o Auê

Ovelha Negra

Jardins da Babilônia

José

Mania de Você

Baila Comigo

Eu e Meu Gato

Olha

Outra Vez

Como é Grande o Meu Amor por Você

Eva

Bem Simples

Anjo

Coisas de Casal

Sapato Velho

Canção de Verão

Whisky A Go Go

Revoluções por Minuto

Alvorada Voraz

Sobradinho

Dona

Espanhola

Cheiro Mineiro de Flor

Jura Secreta

Tô Voltando

Primavera (Vai Chuva)

Azul da Cor do Mar

Gostava Tanto de Você

Frisson

Risque

Ronda

Boemia

Chão de Estrelas

Modinha

Carinhoso

As Rosas Não Falam

Asa Branca

Na Rua, na Chuva, na Fazenda

Na Sombra de uma Árvore

A Lua e Eu

Velho Camarada

Casinha Branca

Rua Ramalhete

Manhãs de Setembro

Nuvem Passageira

A Casa do Sol Nascente

Quero Voltar prá Bahia

Folias de Rei

Cúmplice

Que Maravilha

Menina Veneno

Quero, quero

Toda uma História

Menina

Amor, Meu Grande Amor

Você Abusou

Conto de Areia

Ai, que saudades da Amélia

Nervos de Aço

Na Boquinha da Garrafa

Lá Vem o Negão

Macarena

A Namorada

Gostoso Demais

Papel Marchê

Meu Jeito de Ser

Amor nas Estrelas

Viola Enluarada

Andança

Viagem

Você

Prá Você

A Noite do Meu Bem

Aquarela do Brasil

Asa Morena

Regra Três

Onde Anda Você

Tarde em Itapoã

Garota de Ipanema

Eu Sei que Vou Te Amar

Gente Humilde

Samba em Prelúdio

A Casa

Aquarela

Admirável Gado Novo

A Terceira Lâmina

Eternas Ondas

 

Tempo Rei

A Paz

Meu Mundo e Nada Mais

Brincar de Viver

Planeta Água

Êxtase

Pedacinhos

Cartomante

Bandeira do Divino

Mestre-sala dos Mares

De Frente pro Crime

Nada Por Mim

Pintura Íntima

Como Eu Quero

Paixão

Fonte da Saudade

Trova

Deu prá ti

Será

Ainda é Cedo

Quase Sem Querer

Tempo Perdido

Faroeste Caboclo

Há Tempos

Meninos e Meninas

Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto

Pais e Filhos

La Solitudine

Strani Amori

Me Chama

Corações Psicodélicos

Tudo Azul

Tudo Bem

Tão Bem

Casa

Certas Coisas

De Repente Califórnia

Um Certo Alguém

Minha Vida

Areias Escaldantes

Tempos Modernos

A Cura

O Último Romântico

Como Uma Onda

Bem Que Se Quis

Cavaleiros do Céu

Bailes da Vida

Maria, Maria

Travessia

Caçador de Mim

Canção da América

Solar

Cio da Terra

Preta Pretinha

Meninas do Brasil

Lá vem o Brasil Descendo a Ladeira

Pombo Correio

A Lua

Vira Virou

Amigo é prá Essas Coisas

O Patrão Nosso de Cada Dia

Sangue Latino

Bandoleiro

Balada do Louco

Bandolins

Agonia

Intuição

Lua e Flor

O Condor

Um Violeiro Toca

Caleidoscópio

Romance Ideal

Lanterna dos Afogados

A Novidade

Você

O Beco

Assaltaram a Gramática

Uma Brasileira

Saber Amar

Linda Juventude

Planeta Sonho

Nova Manhã

Todo Azul do Mar

Mesmo de Brincadeira

Gitã

Metamorfose Ambulante

Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás

Maluco Beleza

Trem das Sete

Doce Vampiro

Desculpe o Auê

Ovelha Negra

Jardins da Babilônia

José

Mania de Você

Baila Comigo

Eu e Meu Gato

Olha

Outra Vez

Como é Grande o Meu Amor por Você

Eva

Bem Simples

Anjo

Coisas de Casal

Sapato Velho

Canção de Verão

Whisky A Go Go

Revoluções por Minuto

Alvorada Voraz

Sobradinho

Dona

Espanhola

Cheiro Mineiro de Flor

Jura Secreta

Tô Voltando

Primavera (Vai Chuva)

Azul da Cor do Mar

Gostava Tanto de Você

Frisson

Risque

Ronda

Boemia

Chão de Estrelas

Modinha

Carinhoso

As Rosas Não Falam

Asa Branca

Na Rua, na Chuva, na Fazenda

Na Sombra de uma Árvore

A Lua e Eu

Velho Camarada

Casinha Branca

Rua Ramalhete

Manhãs de Setembro

Nuvem Passageira

A Casa do Sol Nascente

Quero Voltar prá Bahia

Folias de Rei

Cúmplice

Que Maravilha

Menina Veneno

Quero, quero

Toda uma História

Menina

Amor, Meu Grande Amor

Você Abusou

Conto de Areia

Ai, que saudades da Amélia

Nervos de Aço

Na Boquinha da Garrafa

Lá Vem o Negão

Macarena

A Namorada

Gostoso Demais

Papel Marchê

Meu Jeito de Ser

Amor nas Estrelas

Viola Enluarada

Andança

Viagem

Você

Prá Você

A Noite do Meu Bem

Aquarela do Brasil

Asa Morena

Regra Três

Onde Anda Você

Tarde em Itapoã

Garota de Ipanema

Eu Sei que Vou Te Amar

Gente Humilde

Samba em Prelúdio

A Casa

Aquarela

Admirável Gado Novo

A Terceira Lâmina

Eternas Ondas

 

Paralelas

Belchior

E                                      A

Dentro do carro, sobre o trevo a cem por hora, ó meu amor

          E7/9                  A

Só tens agora os carinhos do motor

          E7/9

E no escritório em que eu trabalho

       A                     D7/9                   E

E fico rico, quanto mais eu multiplico diminui o meu amor

E                                       E

Em cada luz de mercúrio vejo a luz do seu olhar

                                          Bm7       E7 E/D    A

Passas praças, viadutos, nem te lembras de voltar, de voltar, de voltar

         A                              (C°)

No corcovado quem abre os braços sou eu

B7      E                         E/D

Copacabana esta semana o mar sou eu

          F#/C#                    A/B

Como é perversa a juventude do meu coração

          E            F7M/5-           E

Que só entende o que é cruel e o que é paixão

         E/D                        A/C#

E as paralelas dos pneus n'água das ruas

      A            Bm7                      A/C#

São duas estradas nuas em que foges do que é teu

          Bm7             E7          A

No apartamento, oitavo andar, abro a vidraça e grito

                                        E

Grito quando o carro passa: teu infinito sou eu

           E/D     A/C#

Sou eu, sou eu, sou eu


Galos, Noites e Quintais

Belchior

Intr.: A   E   (A  F#m)   E4/7   E

   E

Quando eu não tinha o olhar lacrimoso

     F#

Que hoje eu trago e tenho

   A

Quando adoçava o meu pranto e o meu sono

       E                         D   A

No bagaço de cana de engenho

Quando eu ganhava esse mundo de meu Deus

Fazendo eu mesmo o meu caminho

Por entre as fileiras do milho verde que ondeiam

        E

Com saudades do verde marinho

    A

Eu era alegre como um rio

    F#m

Um bicho, um bando de pardais

          D

Como um galo, quando havia

              E

Quando havia galos, noites e quintais

     A

Mas veio o tempo negro e a força fez

   F#m

Comigo o mal que a força sempre faz

     D                    E

Não sou feliz, mas não sou mudo

                     A

Hoje eu canto muito mais


Hora do Almoço

Belchior

Intr.: ( D  D/C  G/B  Bb° )

No centro da sala, diante da mesa

No fundo do prato comida e tristeza

A gente se olha, se toca e se cala

E se desentende no instante em que fala

Medo, medo, medo, medo, medo, medo

Cada um guarda mais o seu segredo,

A sua mão fechada, a sua boca aberta,

O seu peito deserto, a sua mão parada,

Lacrada, selada, molhada de medo

Pai na cabeceira, é hora do almoço

Minha mãe me chama, é hora do almoço

Minha irmã mais nova, negra cabeleira

Minha avó reclama, é hora do almoço

Moço, moço, moço, moço, moço, moço

Que eu ainda sou bem moço prá tanta tristeza

Deixemos de coisa, cuidemos da vida

Pois se não chega a morte ou coisa parecida

Que nos arrasta moço sem termos visto a vida


Quando Te Vi

Beto Guedes

 

Intr.: E F° F#m B7

       E                  F#m          Am

Nem o sol, nem o mar, nem o brilho das estrelas

     E    G#m     F#m   B7         E       F#m   B7

Tudo isso não tem valor sem ter você

       E                   F#m       Am

Sem você, nem o som, da mais linda melodia

        E     G#m      F#m  B7     E  E7

Nem os versos desta canção, iam valer

          A  Am             E        C#7

Nem o perfume, de todas as rosas é igual

  F#m               B7    B7/5+

A doce presença, do seu amor

    E           Bm E7        A        Am

O amor estava aqui,  mas eu nunca saberia

          E  G#m  F#m    B7        E    E7

O que um dia se revelou, quando te vi

(Repete última estrofe)


Amor de Índio

Intr.: (A7M  D7M)

(A7M     D7M)

Tudo que move é sagrado

E remove as montanhas com todo cuidado, meu amor

Enquanto a chama arder, todo dia te ver passar

Tudo viver ao teu lado

Com o arco da promessa no azul pintado prá durar

Abelha fazendo o mel vale o tempo que não voou

    A7M                   D7M

A estrela caiu do céu, o pedido que se pensou

    (F#m                        E                  Bm      E)

O destino que se cumpriu de sentir seu calor e ser todo

Todo dia é de viver para ser o que for e ser tudo

(A7M               D7M)

Sim, todo amor é sagrado

E o fruto do trabalho é mais que sagrado, meu amor

A massa que faz o pão vale a luz do teu suor

Lembra que o sono é sagrado

E alimenta de horizontes o tempo acordado de viver

No inverno te proteger, no verão sair prá pescar

No outono te conhecer, primavera poder gostar

No estio de derreter prá na chuva dançar e andar junto

O destino que se cumpriu de sentir teu calor e ser tudo


Maria Solidária

C                F             G7            C

Eu choro de cara suja, meu papagaio o vento carregou

     G7  C         A7   Dm        G7       Bb       C

E lá se foi prá nunca mais, linha nova que pai comprou

Dança Maria, Maria

Lança seu corpo jovem pelo ar

Ela já vem, ela virá

Solidária nos ajudar

Não fique triste, menino

A linha é tão fácil de arranjar

Venha aqui, venha escolher

Papagaio de toda cor

A casa estava escura

No vento forte a chuva desabou

A luz não vem, eu aqui estou

A rezar na escuridão e só

D                  G               A7       D

Venho no vento da noite, na luz do novo dia cantarei

      A7  D         B7  Em          A7       C       D

Brilha o sol, brilha luar, brilha a vida de quem dançar


Sol de Primavera

Intr.: D7M   A7M   D7M   E   F#   A   B7   E

  E             C#m  G#m    C#m                 A7M

Quando entrar setembro   e a boa nova andar nos campos

B7            A            B7                A   B7            E

Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou  juntos outra vez

             C#m   G#m      C#m           A7M

Já sonhamos juntos semeando as canções no vento

B7             A            B7               A     B7

Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar

E            C#m   G#m         C#m         A7M

Já choramos muito, muitos se perderam no caminho

B7               A              B7          A  B7                E

Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer

           C#m  G#m        C#m          A7M

Sol de primavera abre as janelas do meu peito

B7         A            B7                 A    A/B   E

A lição sabemos de cor, só nos resta aprender


Lumiar

Beto Guedes - Ronaldo Bastos

Intr.: A  G/A  C/A  F#m/A  D/A  Am  F/A  Bm/A  G/A

A7M   E/G#      A/G     D/F#      Dm/F

Anda, vem jantar, vem comer, vem beber

      A7M/E      F#m7

Farrear até chegar Lumiar

(Dm                  Am)

E depois deitar no sereno só prá poder dormir e sonhar

Prá passar a noite caçando sapo, contando caso

De como deve ser Lumiar

Acordar, Lumiar, sem chorar, sem falar

Sem querer acordar e lumiar

Levantar e fazer café só prá sair, caçar e pescar

E passar o dia moendo cana, caçando lua

Clarear de vez Lumiar

Amor, Lumiar, prá viver, prá encostar

Prá chover, prá tratar de vadiar

Descansar os olhos, olhar e ver, e respirar, só prá não ver o tempo passar

Prá passar o tempo até chover, até lembrar

De como deve ser Lumiar

Anda, vem jantar, vem dormir, vem sonhar

Prá viver, até chegar Lumiar

Estender o sol na varanda, até queimar só prá não ter mais nada a perder

Prá perder o medo, mudar de céu, mudar de ar

Clarear de vez Lumiar


O Sal da Terra

Beto Guedes - Ronaldo Bastos

A     A7M                     D7M

Anda, quero te dizer nenhum segredo

G7                        F#m   G/D                       D7M

Falo desse chão, da nossa casa, vem que tá na hora de arrumar

Tempo, quero viver mais duzentos anos

Quero não ferir meu semelhante, nem por isso quero me ferir

C7M                     G    C7M                       G

Vamos precisar de todo mundo prá banir do mundo a opressão

Em                    A/B   C/E                 C      G

Para construir a vida nova  vamos precisar de muito amor

Em                   A/B   C                     (Bm    A/B)

A felicidade mora ao lado  e quem não é tolo pode ver

A paz na Terra, amor, o pé na terra

A paz na Terra, amor, o sal da...

Terra, és o mais bonito dos planetas

Tão te maltratando por dinheiro, tu que és a nave nossa irmã

Canta, leva tua vida em harmonia

E nos alimenta com teus frutos, tu que és do homem a maçã

Vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois

Prá melhor juntar as nossas forças é só repartir melhor o pão

Recriar o paraíso agora para merecer quem vem depois

Deixa nascer o amor

Deixa fluir o amor

Deixa crescer o amor

Deixa viver o amor

O sal da Terra


O Medo de Amar é o Medo de Ser Livre

Beto Guedes - Fernando Brant

Intr.: Am7

  Am7              G7M

O medo de amar é o medo de ser

                 F/G

Livre para o que der e vier

                    C7M        F7M        E4

Livre para sempre estar onde o justo estiver

Am7                G7M

O medo de amar é o medo de ter

            F/G

De a todo momento escolher

                  C7M      Am   F7M   E4

Com acerto e precisão a melhor   direção

F/C                 C7M     Bb/C  C7

O sol levantou mais cedo e quis

F/C  Fm/C        C7M     D/C  F/G  Am7

Em nossa casa fechada entrar prá ficar

                 G7M

O medo de amar é não arriscar

              F/G

Esperando que façam por nós

               C7M       F7M      E4

O que é nosso dever: recusar o poder

F/C                 C7M       Bb/C  C7

O sol levantou mais cedo e cegou

F/C  Fm/C              C7M       D/C  F/G   F/C   Fm/C  C7M

  O medo nos olhos de quem foi ver  tanta luz


Aguardente

Biafra - Paulo Ciranda

Intr.: C  F/G  F#7/4  F7M  G#/A#

C         C/E  F7M       Fm7   C/E    Eb°

Quando você   me encontrar   sem medo

Dm7   G7         C       C/E

Nada do que passou vai ferir

F7M      Fm7   C/E   Eb°  Dm7  G7      C

Nem mudar    de novo    tudo que sentimos

C         C/E  F7M   Fm7   C/E    Eb°

Quando você   entender,   meu amor

Dm7   G7       C        C/E

Que a força da nossa paixão

F7M  Fm7   C/E   Eb°  Dm7    G7     C

É maior   que tudo   vai ser tão bonito

F                 Em

Um gosto forte de coisa quente

Dm7     F/G        C

Amor vadio que me deixa doente

F                Em

E faz sentir que o mal é breve

     Dm     Em     F      F/G

Se o corpo é firme, a alma é leve

Um gosto forte de aguardente

Amor vadio que me deixa doente

E faz sentir que o mal é breve

Se o corpo é firme, a alma é leve


Neném

Maurício Maestro

         C7M                       F/G

Se você quer pode sentar no meu colinho, neném

           C7M                    Gm7    C9

Eu sou santinho, juro pela minha avó

          F7M                     E7M

Que eu ia só cobrir você com mil beijinhos

     Em7/9                  A7       Dm7    F/G

E dizer baixinho eu tenho estado tão só

          C7M                         F/G

Mas se você desse um sorriso engraçadinho, neném

        C7M                    Gm7    C7/9

Eu te puxava com jeitinho prá mim

       F7M        Bm5-/7    E7       D9

E começava a te fazer   carinho, neném

      Em7/9          Dm7/9     C7M

Devagarinho prá não ter mais fim


Toada

Zé Renato - Claudio Nucci - Juca

G                     Am7

Vem, morena, ouvir comigo essa cantiga

F              G          C7M

Sair por essa vida aventureira

                 A7         D     G/B   Gm/Bb     C  G

Tanta toada eu trago na viola prá ver  você  mais feliz

                  Am7

Escuta o trem de ferro alegre a cantar

F               G               C7M

Na reta da chegada prá descansar

             A7           D       C   G

O coração sereno da toada, bem querer

    F#                  Bm

Tanta saudade eu já senti, morena

         A           D      F#          Bm       C    G

Mas foi coisa tão bonita da vida, nunca vou me arrepender

                Am7

Morena, ouve comigo essa cantiga

F              G          C7M

Sair por essa vida aventureira

                 A7        D      G/B   Gm/Bb       C  G

Tanta toada eu trago na viola prá ver  você   mais  fe...liz


Quem Tem a Viola

Juca - Zé Renato - Xico Chaves - C. Nucci

D            G/A         E        G/A

Quem tem a viola prá se acompanhar

                              D7M

Não vive sozinho nem pode penar

Dm7         G7       Bb           C

Tem som de rio numa corda de metal

       Em7      A7      D   G/A

Tem o mar no acorde final

Quem tem a viola prá se acompanhar

Não vive sozinho nem pode penar

Dm7         G7            Bb         C

Tem tom de roupa quando seca no varal

       Em7         A7         D

Luz do sol quando cai no cristal

G  D/F#  Em   Ab7 D           E7

Faz o  luar   brilhar, e o coração vazio

G7M      Bb                Em7   A4/7   D

Voa vadio feito uma pipa no ar


Tigresa

Caetano Veloso

Intr.: Bm

Bm            Em              Bm        G

Uma tigresa de unhas negras e íris cor de mel

  Bm    Em     A7   D                  E

Uma mulher, uma beleza que me aconteceu

      Bm               E                    Bm            F#m

Esfregando sua pele de ouro marrom do seu corpo contra o meu

      G              A7            Bm

Me falou que o mal é bom e o bem cruel

Enquanto os pelos dessa deusa tremem ao vento ateu

Ela me conta, sem certeza, tudo que viveu

Que gostava de política em mil novecentos e setenta e seis

E hoje dança no Frenetic Dancing Days

Ela me conta que era atriz e trabalhou no "Hair"

Com alguns homens foi feliz, com outros foi mulher

Que tem muito ódio no coração, que tem dado muito amor

E espalhado muito prazer e muita dor

Mas ela ao mesmo tempo diz que tudo vai mudar

Porque ela vai ser o que quis, inventando um lugar

Onde a gente e a natureza feliz vivam sempre em comunhão

E a tigresa possa mais do que um leão

As garras da felina me marcaram o coração

Mas as besteiras de menina que ela disse não

E eu corri para o violão, num lamento, e a manhã nasceu azul

Como é bom poder tocar um instrumento


Sampa

Caetano Veloso

Intr.: Dm  G5+/7  G7  C  G5+/7

C                  Bm5-/7    E7     Am   Am7M   Am7    C7

Alguma coisa acontece no meu coração

     F                     A7                       Dm

Que só quando cruza a Ipiranga com a avenida São João

       G7                      G#°              Am

É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi

    D7/9

Da dura poesia concreta de tuas esquinas

                                    Dm      G7

Da deselegância discreta de tuas meninas

 C                    C7             F7M                F#°

Ainda não havia para mim Rita Lee, a tua mais completa tradução

C/G      A5+/7     Dm     G7/6     E7    A5+/7

Alguma coisa acontece no meu coração

     Dm                  G5+/7        G7         C      G5+/7

Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João

Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto

Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto o mau gosto

É que Narciso acha feio o que não é espelho

E a mente apavora o que ainda não é mesmo velho

Nada do que não era antes quando não somos mutantes

E foste um difícil começo, afasta o que não conheço

E quem vem de outro sonho feliz de cidade

Aprende depressa a chamar-te de realidade

Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas

Da força da grana que ergue e destrói coisas belas

Da feia fumaça que sobe apagando as estrelas

Eu vejo surgir teus poetas e campos e espaços

Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva

Panaméricas de áfricas utópicas, túmulo do samba

Mais possível novo quilombo de Zumbi

E os novos baianos passeiam na tua garoa

E os novos baianos te podem curtir numa boa


Alegria, Alegria

Caetano Veloso

Intr.: D  G  B7

       E              A                 B7         E

Caminhando contra o vento, sem lenço, sem documento

                    A          D    B7

No sol de quase dezembro, eu vou

E                     A             B7         E

O sol se reparte em crimes, espaçonaves, guerrilhas

                  A         D    B7   E

Em Cardinales bonitas, eu vou

           A  B7    E                  A  B7    A  E

Em caras de presidentes, em grandes beijos de amor

             A   B7  A   E                A  B7  A   C#m7

Em dentes, pernas, bandeiras, bomba e Brigite Bardot

                 F#m   C#m7                 F#      C#m7

O sol nas bancas de revista me enche de alegria e preguiça

                 B7

Quem lê tanta notícia

D   A                     D               E7       A

Eu vou por entre fotos e nomes os olhos cheios de cores

                   D      G

O peito cheio de amores vãos

B7   E           A            E

Eu vou, por que não? Por que não?

                    A                  B7          E

Ela pensa em casamento, e eu nunca mais fui à escola

                       A        D   B7

Sem lenço, sem documento, eu vou

E                   A              B7        E

Eu tomo uma coca-cola, ela pensa em casamento

                       A       D    E7

E uma canção me consola, eu vou

E         A  B7  A  E           A  B7  A    E

Por entre fotos e nomes, sem livros e sem fuzil

             A  B7 A  E          A  B7   A  C#m7

Sem fone e sem telefone no coração do Brasil

                F#    C#m7              F#   C#m7

Ela nem sabe, até pensei em cantar na televisão

              B7

O sol é tão bonito

D   A                         D             E7             A

Eu vou sem lenço, sem documento, nada no bolso ou nas mãos

                   D       G     B7

Eu quero seguir vivendo, amor

     E           A            E

Eu vou, por que não? Por que não?

         E            A             E

Por que não? Por que não? Por que não?


London, London

Caetano Veloso

Intr.: D  A/C#  Bm  A

    D                    A                 D

I'm wondering round and round, nowhere to go

    G               A                D

I'm lonely in London, London, is lovely so

   G                    A              D             Bm

I cross the streets without fear, everybody keeps the way clear

   G            A                  D

I know there's no one here to say hello

I know they keep the way clear, I am lonely in London without fear

I'm wondering round and round, nowhere to go

           G      A                G       A       D

While my eyes, go looking for flying soucers in the sky

But my eyes, go looking for flying soucers in the sky

Oh, Sunday, Monday, Autumn pass by me

And people hurry on so peacefully

A group approach the policeman, he seems so pleased to please them

It's good to live at least and I agree

He seemed so pleased at least and it's so good to live in peace

And Sunday, Monday years and I agree

REFRÃO

I choose no face to look at, choose no way

I just happen to be here and it's ok

Green grass, blue eyes, gray sky, God bless, silent, pain and happiness

I came around to say yes, and I say

Green grass, blue eyes, gray sky, God bless, silent, pain and happiness

I came around to say yes, and I say

REFRÃO


Partido Alto

E        A           E   A                   E  A                E             A

Diz que deu, diz que dá,     diz que Deus dará,    não vou duvidar, ô nega

                E   A                    G#7    C#m      A                    E

E se Deus não dá,     como é que vai ficar,   ô nega ?,    Deus dará, Deus dará

Diz que deu, diz que dá, diz que Deus dará, não vou duvidar, ô nega

E se Deus negar, eu vou me indignar e chegar, Deus dará, Deus dará

E

Deus é um cara gozador, adora brincadeira

                      Bm7    E7               A

Pois prá me jogar no mundo, tinha o mundo inteiro

                        A#°            E

Mas achou muito engraçado me botar cabreiro

     C#m       F#m         B

Na barriga da miséria nasci batuqueiro

E

Eu sou do Rio de Janeiro

Jesus Cristo ainda me paga, um dia ainda me explica

Como é que pôs no mundo essa pobre coisica

Vou correr o mundo afora, dar uma canjica

Que prá ver se alguém me amarra ao ronco da cuíca

E aquele abraço prá quem fica

Deus me deu mão de veludo prá fazer carícia

Deus me deu muita saudade e muita preguiça

Deus me deu perna cumprida e muita malícia

Prá correr atrás da bola e fugir da polícia

Um dia ainda sou notícia

Deus me fez um cara fraco, desdentado e feio

Pele e osso simplesmente, quase sem recheio

Mas se alguém me desafia e bota a mãe no meio

Dou paulada a três por quatro e nem me despenteio

Que eu já tô de saco cheio


Você Não Entende Nada

Caetano Veloso

E                     A         C#m    F#m   B7   E           A       E

Quando eu chego em casa nada me  consola,       você está sempre aflita

Lágrimas nos olhos de cortar  cebola,    você é tão bonita

A                 D       Bm7

Você traz a coca-cola, eu tomo

             E7       A         D        G#m     C#7      F#m

Você bota a mesa, eu como, eu como, eu como, eu como, eu como

   B7      E               A         C#m     F#m     B7

Você não tá entendendo quase nada do que eu digo

E           A       C#m           F#m   B7    E     E7

Eu quero é ir-me embora, eu quero dar    o   fora

    A           B7          E         E7 (1ª vez)

E quero que você venha comigo                           (2x)

Eu me sento, eu fumo, eu como, eu não agüento, você está tão curtida

Eu quero é tocar fogo neste apartamento,      você não acredita

Traz meu café com suita, eu tomo

Bota a sobremesa, eu como, eu como, eu como, eu como, eu como

Você   tem que saber que eu quero é correr mundo, correr perigo

Eu quero é ir-me embora, eu quero é dar   o    fora

E quero que você venha comigo              (2x)


Rapte-me, Camaleoa

Caetano Veloso

A                      G

Rapte-me, camaleoa, adapte-me a uma cama boa

(F#m                          B)

Capte-me uma mensagem à toa

De um quasar pulsando loa

Interestelar canoa

(E                                       D)

Leitos perfeitos, seus peitos direitos me olham assim

Fino menino me inclino pro lado do sim

Rapte-me, adapte-me, capte-me, it's up to me, coração

Sem querer ser merecer ser um camaleão

A                      G                              A       (G     A)

Rapte-me, camaleoa, adapte-me ao seu ne me quitte pas


Felicidade

Lupicínio Rodrigues

     G7M          Am7

Felicidade foi se embora

                     D9          G7M

E a saudade no meu peito ainda mora

                    E7          Am7

E é por isso que eu gosto lá de fora

                     D9          G7M

Porque sei que a falsidade não vigora

         G7M                   Am7

A minha casa fica lá de traz do mundo

                      D9

Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar

O pensamento parece uma coisa à toa

Mas como é que a gente voa quando começa a pensar


Qualquer Coisa

Caetano Veloso

Bm7                     E7

Esse papo já tá qualquer coisa

        A           C#7    F#7

Você já tá prá lá de Marraquesh

Mexe qualquer coisa dentro doida

Já qualquer coisa doida dentro mexe

G7M                                                    F#7

Não se avexe não, baião de dois, deixe de manha, deixe de manha

                                                    G7M

Pois sem essa aranha, sem essa aranha, sem essa aranha

                                                       F#7

Nem a sanha arranha o carro, nem o sarro arranha a Espanha

                                 G7M                   B7M

Nessa tamanha, nessa tamanha, esse papo seu já tá de manhã

C#m       F#7    C#m    F#7

Berro pelo aterro, pelo desterro

B7M         E7M     B7M     

Berro por seu berro, pelo seu erro

C#m         F#7      C#m          F#7

Quero que você ganhe, que você me apanhe

G#7

Sou o seu bezerro gritando mamãe

E7M                        Em7

Esse papo seu tá qualquer coisa

                   Bm7

E você tá prá lá de Teerã

          E7

Qualquer coisa...


Menino Deus

Caetano Veloso

D            A/C#             Bm

Menino Deus, um corpo azul-dourado

Em                    Bm

Um porto alegre é bem mais que um seguro

    E7             A4/7

Na rota das nossas viagens no escuro

D          A/C#                 Bm

Menino Deus, quando tua luz se acenda

Em                Bm

A minha voz comporá tua lenda

   E7                 A4/7              Am         B7    

E por um momento haverá mais futuro do que jamais houve

     B7                Em          Gm           F#m

Mas ouve a nossa harmonia, a eletricidade ligada no dia

             B7              Bb

Em que brilharias por sobre a cidade

Menino Deus, quando a flor do teu sexo

Abrir as pétalas para o universo

E então, por um lapso, se encontrar no anexo

Ligando os breus, dando sentido aos mundos

                                        E7            A4/7

E aos corações sentimentos profundos de terna alegria no dia

            (D    G/D)

Do menino Deus

Do menino Deus

            D

Do menino Deus

    A7    G      F     D

No dia do menino Deus


Podres Poderes

Caetano Veloso

Intr.: A

A

Enquanto os homens exercem seus podres poderes

B/A

Motos e fuscas avançam os sinais vermelhos

D                    E7      F      F#m

E perdem os verdes, somos uns boçais

Queria querer cantar setecentas mil vezes

Como são ricos, como são ricos os burgueses

E os japoneses, mas tudo é muito mais

C                                         E7

Será que nunca faremos senão confirmar a incompetência da América Católica

F7M                               Bb7

Que sempre precisará de ridículos tiranos?

Será, que será, que será, que será, será que esta minha estúpida retórica

Terá que soar, terá que se ouvir por mais zil anos?

Enquanto os homens exercem seus podres poderes

Índios e padres e bichas, negros e mulheres

E adolescentes fazem o carnaval

Queria querer cantar afinados com eles

Silenciar em respeito ao seu transe, num êxtase

Ser indecente, mas tudo é muito mau

Ou então cada paisano e cada capataz

Com sua burrice fará jorrar sangue demais

Nos pantanais, nas cidades, caatingas e nos gerais

Será que apenas os hermetismos pascoais

E os tons e os mil tons, seus sons e seus dons geniais

Nos salvam, nos salvarão dessas trevas e nada mais?

Enquanto os homens exercem seus podres poderes

Morrer e matar de fome, de raiva e de sede

São tantas vezes gestos naturais

Eu quero aproximar o meu cantar vagabundo

Daqueles de velam pela alegria do mundo

Indo mais fundo, tins e bens e tais, tudo mais fundo, tins e bens e tais


Eclipse Oculto

Caetano Veloso

Intr.: (A  E)

E                     A                    E

Nosso amor não deu certo, gargalhadas e lágrimas

    A                   E

De perto fomos quase nada

          Bm                  F#m                  G

Tipo de amor que não pode dar certo na luz da manhã

           F#         F           E

E desperdiçamos os blues do Djavan

Demasiadas palavras, fraco impulso de vida

Travada a mente na ideologia

E o corpo não agia como se o coração tivesse antes que optar

Entre o inseto e o inseticida

A         E     A       E

Não me queixo, eu não soube te amar

  A        E    A     E

Mas não deixo de querer conquistar

A     F#     F             A           E

Uma coisa qualquer em você, o que será?

Como nunca se mostra o outro lado da lua

Eu desejo viajar do outro lado da sua

Meu coração galinha de leão não quer mais

amarrar frustração

Ó eclipse oculto na luz do verão

Mas bem que nós fomos muito felizes só durante o

prelúdio

Gargalhadas e lágrimas até irmos pro estúdio

Mas na hora da cama nada pintou direito

É, minha cara, falar, não sou proveito sou pura

fama

REFRÃO

Nada tem que dar certo, nosso amor é bonito

Só não disse ao que veio, atrasado e aflito

E paramos no meio sem saber os desejos aonde

é que iam dar

E aquele projeto ainda estará no ar?

Não quero que você fique fera comigo

Quero ser seu amor, quero ser seu amigo

Quero que tudo saia como som de Tim Maia, sem

grilos de mim

Sem desespero, sem tédio, sem fim


O Leãozinho

Caetano Veloso

Intr.: C  C7M

(C  C7M)           G

Gosto muito de te ver, leãozinho

Am                 Em

Caminhando sob o sol

F7M                Bb        (C  C7M)

Gosto muito de você, leãozinho

Para desentristecer, leãozinho

O meu coração tão só

Basta eu encontrar você no caminho

Am             Ab             C/G   F#m5-/7

Um filhote de leão, raio da manhã

F7M                  Em            Dm   G7

Arrastando o meu olhar como um imã

Am                 Ab              C/G    F#m5-/7

O meu coração é o sol, pai de toda cor

F7M                    Em      Dm    G7

Quando ele lhe doura a pele ao léu

Gosto de te ver ao sol, leãozinho

De te ver entrar no mar

Tua pele, tua luz, tua juba

Gosto de ficar ao sol, leãozinho

De molhar minha juba

De estar perto de você e entrar numa


Não Identificado

Caetano Veloso

D            G                Bm

Eu vou fazer uma canção prá ela

Em             A4/7  A7    D

Uma canção singela, brasileira

G                      D           G

Para lançar depois do carnaval

D            G              Bm

Eu vou fazer um iê-iê-iê romântico

    Em           A4/7    A7     D

Um anticomputador sentimental

G                     C

Eu vou fazer uma canção de amor

Cm7                   Em          Cm7   (A7)

Para gravar num disco voador

Uma canção dizendo tudo a ela

Que ainda estou sozinho, apaixonado

Para lançar no espaço sideral

Minha paixão há de brilhar na noite

No céu de uma cidade do interior

G                        C

Como um objeto não identificado

Cm7               G          C

Que ainda estou sozinho e apaixonado

Como um objeto não identificado

Para gravar num disco voador

Eu vou fazer uma canção de amor

Como um objeto não identificado


Lua de São Jorge

Caetano Veloso

D            B7    E7

Lua de São Jorge, lua deslumbrante

A7               D           A7

Azul verdejante, cauda de pavão

D            B7     E7

Lua de São Jorge cheia, branca, inteira

A7                Bm            F#m

Ó minha bandeira solta na amplidão

G           Gm    D       B7    E7         A7    D

Lua de São Jorge, lua brasileira, lua do meu coração

A           F#7    B7

Lua de São Jorge, lua deslumbrante

E7                A          E7

Azul verdejante, cauda de pavão

A            F#7     B7

Lua de São Jorge, cheia, branca, inteira

E7                F#m           C#m

Ó minha bandeira solta na amplidão

D            Dm    A      F#7   B7         E7    A    E7

Lua de São Jorge, lua brasileira, lua do meu coração

Lua de São Jorge, lua maravilha

Mãe, irmã e filha de todo esplendor

Lua de São Jorge brilha nos altares

Brilha nos lugares onde estou e vou

Lua de São Jorge brilha sobre os mares, brilha sobre o meu amor

Lua de São Jorge, lua soberana

Nobre porcelana sobre a seda azul

Lua de São Jorge, lua da alegria

Não se vê um dia claro como tu

Lua de São Jorge serás minha guia no Brasil de Norte a Sul


Força Estranha

Caetano Veloso

   G                  Dm              E7

Eu vi o menino correndo, eu vi o tempo

                                           Am

Brincando ao redor do caminho daquele menino

    F#°                        Em

Eu pus os meus pés no riacho e acho que nunca os tirei

   C                               D7

O sol ainda brilha na estrada e eu nunca passei

Eu vi a mulher preparando outra pessoa

O tempo parou para eu olhar para aquela barriga

A vida é amiga da arte, é a parte que o sol me ensinou

O sol que atravessa essa estrada que nunca passou

    G                  B7

Por isso uma força me leva a cantar

    Em                 Dm      G7

Por isso essa força estranha

C                 C#°    G/D            Em

Por isso é que eu canto, não posso parar

A7                    D7

Por isso essa voz tamanha

Eu vi muitos cabelos brancos na fronte do artista

O tempo não pára e no entanto ele nunca envelhece

Aquele que conhece o jogo do fogo, das coisas que são

É o sol, é o tempo, é a estrada, é o pé e é o chão

Eu vi muitos homens brigando, ouvi seus gritos

Estive no fundo de cada vontade encoberta

E a coisa mais certa de todas as coisas não vale um caminho sob o sol

É o sol sobre a estrada, é o sol sobre a estrada, é o sol


Baby

Caetano Veloso

Intr.: ( D  G )

D    G                    D

Você precisa saber da piscina

           G          D            G      D

Da margarina, da Carolina, da gasolina

    G                   D     G

Você precisa saber de mim

D     Bm   Em             A7

Baby, baby, eu sei que é assim

Baby, baby, eu sei que é assim

Você precisa tomar um sorvete

Na lanchonete, andar com a gente, me ver de perto

Ouvir aquela canção do Roberto

Baby, baby, há quanto tempo

Baby, baby, há quanto tempo

Você precisa aprender inglês

Precisa aprender o que eu sei

E o que eu não sei mais, e o que eu não sei mais

Não sei, comigo vai tudo azul

Contigo vai tudo em paz

Vivemos na melhor cidade da América do Sul, da América do Sul

Você precisa, você precisa

Não sei, leia na minha camisa

Baby, baby, I love you

Baby, baby, I love you


Meu Bem, Meu Mal

Caetano Veloso

Intr.: G/A  A7/9-/11+  D6/9  C6/7  B6/7  B5+/7  G/A  A7/9-/11+

  D7M         C#m5-/7   F#5+/7

Você é meu caminho

     Bm7  E7  Am7

Meu vinho, meu vício

D7/9     G7M          C7/9

Desde o início estava você

    D7M         C#m5-/7   F#5+/7

Meu bálsamo benigno

     Bm7  E7   Am7

Meu signo, meu guru

G#5-/7   G7M               C7/9

Porto seguro onde eu vou ter

    F#m5-/7       B5+/7

Meu mar e minha mãe

             E7           A6/7   A/G

Meu medo e meu champagne

  F#5-/7    B5+/7     Em7

Visão do espaço sideral

Gm7

Onde o que eu sou se afoga

     F#m7          B7

Meu fumo e minha ioga

   Em7        A6/7

Você é minha droga

   D7M        G#5-/7

Paixão e carnaval

     G/A     A7/9-/11+    D6/9

Meu zen, meu bem, meu mal


Sorte

Celso Fonseca - Ronaldo Bastos

Intr.: (D7M  G#7/5-  G7M  C7/9)  D7M  G#7/5-  G7M  G/A

D                  A7         Bb°

Tudo de bom que você me fizer

Bm             G7M      A7

Faz minha rima ficar mais rara

D                  A7             Bb°

O que você faz me ajuda a cantar

Bm              G7M     A7

Põe um sorriso na minha cara

        D  G#7/5-   G7M  C7/9

Meu amor, você me dá sorte

Meu amor, você me dá sorte

                               D7M

Meu amor, você me dá sorte na vida

D                   A7          Bb°

Quando te vejo não saio do tom

Bm               G7M    A7

Mas meu desejo já se repara

D                   A7          Bb°

Me dá um beijo com tudo de bom

Bm                 G7M     A7

E acende a noite na Guanabara

Meu amor, você me dá sorte

Meu amor, você me dá sorte

Meu amor, você me dá sorte de cara


Vaca Profana

Caetano Veloso

Intr.: Am  F  G  F  C

C                      F          C                      Am

Respeito muito minhas lágrimas, mas ainda mais minha risada

Dm                      F                                C

Escrevo assim minhas palavras na voz de uma mulher sagrada

C                       D      C#                      C

Vaca profana põe teus cornos prá fora e acima da manada                     2x

   C                D         F

Ê, dona de divinas tetas, derrama o leite bom na minha cara

     C                 F             C     F    C   F

E o leite mau na cara dos caretas

Segue a "movida Madrileña", também te mata Barcelona

Napoli Pino, Pí, Pau, punks, picassos movem-se por Londres

Bahia onipresentemente, Rio e belíssimo horizonte                             2x

Ê, vaca de divinas tetas, la leche buena toda em mi garganta

La mala leche para los "puretas"

Quero que pinte amor Bethânia, Stevie Wonder, Andaluz

Mais do que tive em Tel Aviv, perto do mar, longe da cruz

Mas em composição cubista, meu mundo Thelonius Monk's blues                2x

Ê, dona das divinas tetas, quero teu leite todo em minha alma

Nada de leite mau para os caretas

Sou tímido e espalhafatoso, torre traçada por Gaudi

São Paulo é como um mundo todo, no mundo um grande amor perdi

Caretas de Paris e New York, sem mágoas estamos aí                          2x

Ê, vaca das divinas tetas, teu bom só para o oco, minha falta

E o resto inunde as almas dos caretas

Mas eu também sei ser careta, de perto ninguém é normal

Às vezes segue em linha reta, a vida que é meu bem, meu mal

No mais, as "ramblas" do planeta, "Orchata de chufa, si us plau"               2x

Ê, deusa de assombrosas tetas, gotas de leite bom na minha cara

Chuva do mesmo bom sobre os caretas, la mala leche para los "puretas"

Nada de leite mau para os caretas, e o leite mal na cara dos caretas

Chuva do mesmo bom sobre os caretas, e o resto inunde as almas dos caretas


Você é Linda

Caetano Veloso

 

F#m7               C#m7     D7M      G#m7   C#7(b9)

Fontes de mel nuns olhos de gueixa, Kabuki máscara

D7M                  D#m7(b5)    G#7  C#m7     F#7  Bm7     E7

Choque entre o azul, e o cacho de acácias, luz das acácias Você é mãe do sol

A Tua coisa é toda tão certa, beleza esperta

Você me deixa a rua deserta, quado atravessa E não olha pra tras

A       C#m7       D7M          Bm7

Linda e sabe viver, você me faz feliz

Dm7         G7          A7M

Essa canção é só pra dizer e diz

Você é linda mais que demais   Você é linda sim

Ondas do mar do amor que bateu em mim

Você é forte dentes e músculos, peitos e lábios

Você é forte letras e músicas, todas as músicas que ainda ei de ouvir

No Abaeté areias e estrelas, não são mais belas

Do que você mulher da sestrelas, minas de estrelas

Diga o que você quer

Gosto de ver voê no seu ritmo, dona do carnaval

Gosto de ter, sentir seu estilo, ir no seu íntimo Nunca me faça mal


Desde Que o Samba é Samba

Caetano Veloso

 

Intr.: (D7M - A7)  x2

     D7M  A7  D7M D7/9  G7M                    C7/9      F#7/13   B7/9

A tristeza é senhora,      Desde que o samba é samba é assim

  Em7           A7             Bm7          E7/9                      A7

A lágrima clara sobre a pele escura,     a noite e a chuva que cai lá fora

   D7M  A7  D7M D7/9  G7M              C7/9     F#7/13   B7/9

Solidão apavora,      tudo demorando em ser tão ruim

    Em7             A7/13         Bm7             E7/9

Mas alguma coisa acontece,     no quando agora em mim

   Em7                  A7     D7M    A7

Cantando eu mando a tristeza embora

(Repete tudo acima)

  Em7                F#7          Bm7               C#7

O samba ainda vai nascer,       O samba ainda não chegou

  F#m7            B7/9                 Bm7             E7/9

O samba não vai morrer,         veja o dia ainda não raiou

  Em7                 F#7         Bm7                C#7

O samba é o pai do prazer,      o samba é o filho da dor

   F#m7             B7          E7/13   E7/5M   Em7

O grande poder transformador


Menino do Rio

Caetano Veloso

  C7M          Eb°

Menino do Rio, calor que provoca arrepio

 Dm        G7               Dm          G7

Dragão tatuado no braço, calção corpo aberto no espaço

 C   C7             F            Fm

Coração de eterno flerte, adoro ver-te

C7M           Eb°

Menino vadio, tensão flutuante do rio

Dm            G7             C

Eu canto para Deus proteger-te

A7       Dm7        G7           C7M

O Havaí, seja aqui, tudo o que sonhares

A7         Dm7   Eb°           Em

Todos os lugares, as ondas dos mares

                  Ab

Pois quando eu te vejo eu desejo o teu desejo

C7M            Eb°

Menino do Rio, calor que provoca arrepio

Dm           G7             C7M

Toma esta canção como um beijo


Lua e Estrela

Caetano Veloso

Intr.: C7M

  Fm               C7M     Am     Fm              C7M      Am

Menina do anel, de lua e estrela, raio de sol, no céu da cidade,

Gm7         C7  F7M            Dm7                G7

Quem é você,  qual o seu nome, conta pra mim, diz como eu te encontro,

    Fm                C7M       Am         Fm                      C7M      Am

Mas deixo ao destino, deixo ao acaso, quem sabe eu te encontro, de noite no baixo

  Gm7        C7  F7M                 Dm7            G7

Brilho da lua,  noite é bem tarde, penso em você, fico com saudade,

 Fm             C7M     Am       Fm                  C7M     Am 

Manhã chegando, luzes morrendo, neste espelho, que é nossa cidade

Quem é você...


Faz Parte do Meu Show

Ladeira - Cazuza

Intr.: C7M   F7M

  ( C7M                                Bb7M )

Te pego na escola e encho tua bola com todo meu amor

Te levo prá festa e testo teu sexo com ar de professor

        ( Ab7M                                         Db7M )

Faço promessas malucas tão curtas quanto um sonho bom

Se eu te escondo a verdade, baby, é prá te proteger da solidão

    C7M                    Ab7M                       C7M     F7M

Faz parte do meu show, faz parte do meu show, meu amor                  1

Confundo as tuas coxas com as de outras moças, te mostro toda a dor

Te faço um filho, te dou outra vida prá te mostrar quem sou

Vago na lua deserta das pedras do Arpoador

Digo alô ao inimigo, encontro um abrigo no peito do meu traidor

REPETE 1

Invento desculpas, provoco uma briga, digo que não estou

Vivo num clip sem nexo, um pierrot-retrocesso, meio bossa nova e rock'n roll

    C7M                    Ab7M                       C7M

Faz parte do meu show, faz parte do meu show, meu amor

      Ab7M        C7M

Meu amor, meu amor


Codinome Beija-Flor

Arias - Cazuza - Ezequiel

Intr.: A7M   F#m7   D9   E4/7

A           A7M                A      A7M

Prá que mentir, fingir que perdoou

   D7M        E/D            D7M

Tentar ficar amigos sem rancor

               E7     D7M                E/D

A emoção acabou, que coincidência é o amor

  Bm7   C#m7   D7M     D/E    F7M

A nossa música nunca mais  tocou

A          A7M              A     A7M

Prá que usar de tanta educação

    D7M          E/D        F#m7

Prá destilar terceiras intenções

    D7M                E/D  D7M                E/D

Desperdiçando o meu mel devagarinho, flor em flor

Bm7      C#m7   D7M    D/E   F/G

Entre os meus inimigos, Beija-flor

C7M                        Bm7  E7   Am        Em9/7       A7M

Eu protegi teu nome por amor        em um codinome Beija-flor

C7M                         E4/7        F7M                  G        A7M

Não responda nunca meu amor, nunca, prá qualquer um na rua, Beija-flor

F7M               G   F7M                   G

Que só eu que podia dentro da tua orelha fria

F7M                  G      A7M

Dizer segredos de liqüidificador

F7M                 G    F7M                    G

Você sonhava acordada, um jeito de não sentir dor

F7M                  G               A7M

Prendia o choro e aguava o bom do amor

F7M                 G7M             A7M

Prendia o choro e aguava o bom do amor


O Que Será ? (à flor da pele)

Chico Buarque

Intr.: Gm*  Dm*  Cm*  Ebm  Ebm7M  Am5-/7  D7/9-

Obs  : * = m7M  m7  m6

Gm                Gm*

O que será que me dá

                Dm                  Dm*

Que me bole por dentro, será que me dá

                   Cm               Cm*

Que brota à flor da pele, será que me dá

                  Ebm             Am5-/7

E que me sobe às faces e me faz chorar

   D7/9-           Gm               Gm*

E que me salta os olhos a me atraiçoar

                   Dm                  Dm*

E que me aperta o peito e me faz confessar

                     Cm            Cm*

O que não tem mais jeito de dissimular

              Ebm               Am5-/7

E que nem é direito ninguém recusar

   D7/9-        Gm              Gm*

E que me faz mendigo, me faz suplicar

                  Ebm             Ebm*

O que não tem medida nem nunca terá

                 Bb/D      C#°     Cm

O que não tem remédio nem nunca terá

 D7/9-         Gm      A5-/7      Dm

O que não tem receita

                  Dm*                   Am          Am*

O que será que será, que dá dentro da gente e não devia

         B7/Eb    Gm            Gm*

Que desconcerta a gente, que é revelia

                       Cm            Em5-/7

Que é feito uma aguardente que não sacia

      A7          Dm            Dm*

Que é feito estar doente de uma folia

                    Am              Am*

Que nem dez mandamentos vão conciliar

                  Gm           Gm*

Nem todos os ungüentos vão aliviar

                   Cm               Em5-/7

Nem todos os quebrantos, toda alquimia

     A7           Dm                Dm*

Que nem todos os santos, será que será

                  Bbm                Bbm*

O que não tem descanso nem nunca terá

                  F/A       Ab     Gm        A7        Dm     B7

O que não tem cansaço nem nunca terá, o que não tem limite

         Em        Em*                    Bm                  Bm*

O que será que me dá, que me queima por dentro, será que me dá

                   Am                Am*

Que me perturba o sono, será que me dá

                Cm               F#m5-/7

Que todos os temores me vem agitar

     B7        Em              Em*

Que todos os ardores me vem atiçar

                Bm                 Bm*

Que todos os suores me vem encharcar

                    Am               Am*

Que todos os meus nervos estão a rogar

                    Cm                F#m5-/7

Que todos os meus órgãos estão a chamar

       B7       Em                Em*

E uma aflição medonha me faz implorar

                  Cm

O que não tem vergonha nem nunca terá

                G/B        Bb°     Am7     B7          Em

O que não tem governo nem nunca terá, o que não tem juízo


Roda Viva

Chico Buarque

Am7                      F7M                             E4

Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu

               F/G      C7M                   F#m4/7         E7

A gente estancou de repente, ou foi o mundo então que cresceu

              A7      Dm7              G7        C

A gente quer ter voz ativa, no nosso destino mandar

                        Am7               F7M       E4/7     E7

Mas eis que chega a roda viva e carrega o destino prá lá

      Am7                          F6           G7

Roda mundo, roda gigante, roda moinho, roda peão

         Gm4/7     F#7/5-         F6                   E4/7    E7     Am7

O tempo rodou     num       instante nas voltas do meu     coração

A gente vai contra a corrente até não poder resistir

Na volta do barco é que sente o quanto deixou de cumprir

Faz tempo que a gente cultiva a mais linda roseira que há

Mas eis que chega a roda viva e carrega a roseira prá lá

A roda da saia, a mulata, não quer mais rodar, não senhor

Não posso fazer serenata, a roda de samba acabou

A gente toma a iniciativa, viola na rua a cantar

Mas eis que chega a roda viva e carrega a viola prá lá

O samba, a viola, a roseira, um dia a fogueira queimou

Foi tudo ilusão passageira que a brisa primeira levou

No peito a saudade cativa, faz força pro tempo parar

Mas eis que chega a roda viva e carrega a saudade prá lá


João e Maria

Chico Buarque - Sivuca

Intr.: ( Am  G )

Am                Dm           G                C

Agora eu era o herói e o meu cavalo só falava inglês

Am            Dm       G7                    C

A noiva do coubói era você além das outras três

                  B7                       Em

Eu enfrentava os batalhões, os alemães e seus canhões

                   C7                    F                 E7

Guardava o meu bodoque e ensaiava um rock para as matinês

Am             Dm        G                 C

Agora eu era o rei, era bedel e era também juiz

Am           Dm            G7              Gm    A7

E pela minha lei a gente era obrigado a ser feliz

    Dm          G7                 C

E você era a princesa que eu fiz coroar

             F              A#7           E7           Am

Que era tão linda de se admirar e andava nua pelo meu país

Am             E             A7                     Dm

Não, não fuja não, finja que agora eu era o seu brinquedo

G              C   A#7              E7

Eu era o seu peão, o seu bicho preferido

Am             E7             A                Dm

Vem, me dê a mão, a gente agora já não tinha medo

G                 C                     Dm     E7    Am

No tempo da maldade acho que a gente nem tinha nascido

Agora era fatal que o faz de conta terminasse assim

Prá lá desse quintal era uma noite que não tem mais fim

Pois você sumiu no mundo sem me avisar

E agora eu era um louco a perguntar

O que é que a vida vai fazer de mim


Valsinha

Chico Buarque

Intr.: Dm

    A#°                A7              Dm

Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar

   A#°                A7                     Dm

Olhou-a dum jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar

  D7                                         Gm

E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar

  E7                    E7/G#

E nem deixou-a só num canto,

                   A7

Prá seu grande espanto, convidou-a prá rodar.

Então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar

Com seu vestido decotado, cheirando a guardado de tanto esperar

Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar

E cheios de ternura e graça foram para praça e começaram a se abraçar

E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou

E foi tanta felicidade que toda cidade se iluminou

E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos

Como não se ouvia mais

       Dm                     A#°         A7     Dm

Que o mundo compreendeu e o dia amanheceu em paz


Mulheres de Atenas

Chico Buarque

Intr.: D  E/D  G/D  A/D  D

D              E7                   G         A7

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas

D                   E7             Gm/Bb    D/A

Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas

G7M             A               F#/A#         Bm7            A7        D      D7

Quando amadas se perfumam, se banham com leite, se arrumam, suas melenas

G7M          A                C#m5-/7        Bm7

Quando fustigadas não choram, se ajoelham, pedem, imploram

A7           D

Mais duras penas, cadenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas

Sofrem por seus maridos, poder e força de Atenas

Quando eles embarcam, soldados, elas tecem longos bordados, mil quarentenas

E quando eles voltam, sedentos, querem arrancar violentos

Carícias plenas, obcenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas

Despem-se pros seus maridos, bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho costumam buscar os carinhos de suas falenas

Mas no fim da noite, aos pedaços, quase sempre voltam pros braços

De suas pequenas Helenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas

Geram pros seus maridos os novos filhos de Atenas

Elas não têm gosto ou vontade, nem defeito, nem qualidade, tem medo apenas

Não têm sonhos, só têm presságios, o seu homem, mares, naufrágios

Lindas sirenas, morenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas

Temem por seus maridos, heróis e amantes de Atenas

As jovens viúvas marcadas e as gestantes abandonadas não fazem cenas

Vestem-se de negro, se encolhem, se conformam e se recolhem

Às suas novenas, serenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas

Secam por seus maridos, orgulho e raça de Atenas


Tanto Amar

Chico Buarque

C               G/B      Gm/Bb               F/A     A7

Amo tanto, e de tanto amar acho que ela é bonita

                    D7         F/A        G/B

Tem um olho sempre a boiar, e outro que agita

 

Tem um olho que não está, meus olhares evita

 

E outro olho a me arregalar sua pepita

 

 

C             E7     Am7                   C7        F

A metade do seu olhar está chamando prá luta aflita

                 G7         F       G7

E a metade quer madrugar na bodeguita

Se seus olhos eu for cantar, um seu olho me atura

E outro olho vai desmanchar toda a pintura

Ela pode rodopiar e mudar de figura,

A paloma do seu mirar virar miúra

É na soma do seu olhar que eu vou me conhecer inteiro

Se nasci prá enfrentar o mar, ou faroleiro

Amo tanto, e de tanto amar acho que ela acredita

Tem um olho sempre a pestanejar e outro me fita

Suas pernas vão se enroscar num balé esquisito

Seus dois olhos vão se encontrar no infinito

Amo tanto, e de tanto amar em Manáqua temos um chico

Já pensamos em nos casar em Porto Rico


Cotidiano

Chico Buarque

Todo dia ela faz tudo sempre igual

Dm

Me sacode às seis horas da manhã

     C

Me sorri um sorriso pontual

  Bb             A7           

E me beija com a boca de hortelã

Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar

E essas coisas que diz toda mulher

Diz que está me esperando pro jantar

E me beija com a boca de café

Todo dia eu só penso em poder parar

Meio-dia eu só penso em dizer não

Depois penso na vida prá levar

E me calo com a boca de feijão

Seis da tarde, como era de se esperar

Ela pega e me espera no portão

Diz que está muito louca prá beijar

E me beija com a boca de paixão

Toda noite ela diz prá eu não me afastar

Meia-noite ela jura eterno amor

Me aperta prá eu quase sufocar

E me morde com a boca de pavor

REPETE 1ª ESTROFE


Cálice

Chico Buarque - Gilberto Gil

E                        G#                             A

Pai, afasta de mim esse cálice, Pai, afasta de mim esse cálice

     F#7                E/B       B7             E

Pai, afasta de mim esse cálice de vinho tinto de sangue

        C#m              C#m7M           C#m7         F#7/C#

Como beber dessa bebida amarga, tragar a dor, engolir a labuta

         A7M                F#7/C#         B7/6    B7/5+        E

Mesmo calada a boca resta o peito, silêncio na cidade não se escuta

 

De que me vale ser filho da santa, melhor seria ser filho da outra

 

Outra realidade menos morta, tanta mentira, tanta força bruta

        C#m           C5M           E/B                 F#/A#

Como é difícil acordar calado, se na calada da noite eu me dano

         A7M               F#/A#               B7/6    B7/5+     E

Quero lançar um grito desumano que é uma maneira de ser escutado

 

Esse silêncio todo me atordoa, atordoado eu permaneço atento

 

Na arquibancada, prá qualquer momento, ver emergir o monstro da lagoa

De muito gorda a porca já não anda, de muito usada a faca já não corta

Como é difícil, pai, abrir a porta, essa palavra presa na garganta

Esse pileque homérico no mundo, de que adianta ter boa vontade

Mesmo calado o peito, resta a cuca dos bêbados do centro da cidade

Talvez o mundo não seja pequeno, nem seja a vida um fato consumado

Quero inventar o meu próprio pecado, quero morrer do meu próprio veneno

Quero perder de vez tua cabeça, minha cabeça perder teu juízo

Quero cheirar fumaça de óleo diesel, me embriagar até que alguém me esqueça


Iolanda

Chico Buarque - Pablo Milanes

Intr.: ( G )  C/E  D/F#

G                                        C/G

Esta canção não é mais que mais que uma canção

D/F#                          G          C     D

Quem dera fosse uma declaração de amor

G                      C

Romântica, sem procurar a justa forma

D                                         G

Do que me vem de forma assim tão caudalosa

G       C        D                 G     C/G

Te amo,  te amo,  eternamente, te amo

G                      C/G             D/F#                             G    C/G    D

Se me faltares nem por isso eu morro, se é prá morrer quero morrer contigo

G                         C            D                             G

Minha solidão se sente acompanhada, por isso às vezes sei que necessito

Teu colo, teu colo, eternamente, teu colo

G                          C/G        D/F#                     G     C/G     D

Quando te vi eu bem que estava certo de que me sentiria descoberto

G                   C                 D                                 G

A minha pele vai despindo aos poucos, me abres o peito quando me acumulas

De amores, de amores, eternamente, de amores

G                           C/G   D/F#                         G    C/G    D

Se alguma vez me sinto derrotado eu abro mão do sol de cada dia

G                        C            D                            G

Rezando o credo que tu me ensinaste, olho teu rosto e digo à ventania

G      C       D                 G

Iolanda, Iolanda, eternamente, Iolanda

C/G       D       G

  Eternamente, Iolanda


Flash Back

Dalto

Intr.: ( G  G5+  G  G5+ )

G           G5+        G6         G7

Quando seu rosto aparecer à minha porta

C       Bm7       Em

E seu olhar simplesmente encontrar

Am7      Bm7   Cm7                       D7/9

O meu sorriso   dizendo bem-vinda, pode chegar

Quase parada você vai entrar encabulada

Vendo que aqui pouca coisa mudou

Nós sentaremos sentindo que agora tudo, tudo passou

C             G/B      Am

Acho que eu mereço ganhar

        Am7/G     D7

O prêmio Nobel da paz

C              G/B     Am

Acho que eu preciso brindar

 Am7/G     F   C/E   D7    D/C

O nosso amor

Mas de repente eu me vejo sozinho

E minha porta fechada pro amor

Foi só um flash back

Porque meu cigarro nesse instante apagou


Muito Estranho

Dalto - Claudio Rabello

Intr.: G/D  F/C  E/B  D#  G  Em  C  A7  D7  C

G                                     C

Hum! Mas se um dia eu chegar muito estranho

D7                                    G      C/D

Deixa essa água no corpo lembrar nosso banho

G               G7                 C

Hum! Mas se um dia eu chegar muito louco

D7                                  G      G7

Deixa essa noite saber que um dia foi pouco

       C           G/B   Am

Cuida bem de mim

          D7        A             C

Então misture tudo dentro de nós

               D7        G              C/D

Porque ninguém vai dormir nosso sonho

G                               C      G/B

Hum! Minha cara prá que tantos planos

    Am                 D7                 G      C/D

Se quero te amar e te amar e te amar muitos anos

G                             C       G/B

Hum! Tantas vezes eu quis ficar solto

Am                 D7                G        G7

Como se fosse uma lua a brincar no teu rosto

Cuida bem de mim

Então misture tudo dentro de nós

Porque ninguém vai dormir nosso sonho


O Canto da Cidade

Tote Gira - Daniela Mercury

Intr.: D  C/D

  (D                   C/D)

A cor dessa cidade sou eu, o canto dessa cidade é meu     BIS

    D

O gueto, a rua, a fé

    C             G

Eu vou andando a pé

       D  F#m  C  G

Pela cidade bonita

   D         F#m

O toque do afoxé

     C            G

E a força de onde vem

            D   F#m

Ninguém explica

         C  G

Ela é bonita

    Bm          Em

Ô ô, verdadeiro amor

    Bm              Em

Ô ô, você vai onde eu vou              BIS

     D              F#m

Não diga que não me quer

     C                 G

Não diga que não quer mais

    D               F#m

Eu sou o silêncio da noite

             C     G

O sol da manhã

     D            F#m

Mil voltas o mundo tem

      C             G

Mas tem um ponto final

     D               F#m

Eu sou o primeiro que canta

          C    G

Eu sou o carnaval


Meu Bem Querer

Djavan

Intr.: ( C7M   Dm/C )

(C7M         Dm/C)

Meu bem querer, é segredo, é sagrado

Está sacramentado em meu coração

                                                          C7M    

Meu bem querer, tem um quê de pecado acariciado pela emoção

Am7              Em7           F7M         E/G

Meu bem querer, meu encanto, tô sofrendo tanto

Em7           Ab°             D7/F#   Fm6     C/E    F/G              E/G  C7M

Amor, e o que é o sofrer  para mim    que   estou  jurado prá morrer de amor


Sina

Djavan

Intr.: ( A  D/A )

A          D/A

Pai e mãe, ouro de mina

A        E7/G#

Coração, desejo e sina

F#m7       C#m7        D7M

Tudo mais, pura rotina, jazz

D#°                           A

Tocarei seu nome prá poder falar de amor

D/A             A

Minha princesa, art-nuveau

E7/G#        F#m7

Da natureza, tudo o mais

C#m7        D7M     D#°

Pura beleza, jazz

     D/E                    C/D           F#m7

A luz de um grande prazer é irremediável neon

           D/E                D7/9          E7

Quando o grito do prazer açoitar o ar, reveillon

A              D/A

O luar, estrela do mar

          A              E7/G#

O sol e o dom, quiçá, um dia a fúria

       F#m7        C#m7

Desse front virá lapidar

                     D7M

O sonho até gerar o som

                 E7                  A

Como querer caetanear o que há de bom


Oceano

Djavan

Intr.: D9

   D7M   G7M              G/A

Assim   que o dia amanheceu

       Bb°            Bm   Bm7M   Bm7

Lá no mar alto da paixão

         Bm6   Am7    D7/9

Dava prá ver o tempo ruir

Gm7    C7/9       F#m7

Cadê você, que solidão

B7/9-   E7/9     G/A

Esquecerá de mim

  D7M   G7M              G/A

Enfim,  de tudo que há na terra

        Bb°        Bm   Bm7M    Bm7

Não há nada em lugar nenhum

           Bm6       Am7    D7/9

Que vá crescer sem você chegar

Gm7    C7/9        F#m7

Longe de ti tudo parou

B7/9-     E7/9              G/A

Ninguém sabe o que eu sofri

Dm            C7/9           F7M     Em7/5-    A7/5+

Amar é um deserto e seus temores

Dm7           C7/9         F7M

Vida que vai na sela dessas dores

     Gm7    Am7    Bb7M    Em7/9    A7/5+

Não sabe voltar, me dá teu calor

Dm             C7/9            F7M    Em7/5-    A7/5+

Vem me fazer feliz porque eu te amo

Dm7              C7/9       F7M

Você deságua em mim e eu oceano

   Gm7        Am7    Bb7M      Em7/5-    A7/5+

Esqueço que amar é  quase uma dor

D9   F7M  G6/9  C   D9   F7M   G6/9    C   D7M

   sei    vi...ver   se   for    por    vo...cê


Flor de Lis

Djavan

Intr.: ( C7M   Fm7M/A )

  C7M                    Bm4/7     E7

Valei-me Deus, é o fim do nosso amor

        Am7     D7/9         Gm7         C7/9

Perdoa por favor, eu sei que o erro aconteceu

          F#m5-/7  B7/9-         F7M    Am7

Mas não sei o que fez tudo mudar de vez

                  F#m5-/7

Onde foi que eu errei

   B7/9-         Em7       A7/5+    D7/9      G5+/7

Eu só sei que amei, que amei, que amei, que amei

  C7M                Bm7/4  E7

Será, talvez, que minha ilusão

            Am7         D7/9   Gm7

Foi dar meu coração com toda força

         C7/9        F#m7/5-

Prá essa moça me fazer feliz

B7/9-             F7M

E o destino não quis

   Am7      F#m7/5-  B7/9-    Em7    Am7

Me ver como raiz     de uma flor de lis

                 Dm7  Fm7               C7M

E foi assim que eu vi   nosso amor na poeira, poeira

F/A        Fm/Ab          C7M

Morto na beleza fria de Maria

     C7           F7M        Bb7/9    Em7

E o meu jardim da vida ressecou, morreu

   A5+/7            D7/9     G5+/7         C7M      (G5+/7)

Do pé que brotou Maria nem Margarida nasceu


Pavão Mysteriozo

Ednardo

Intr.: A

    A               G           D     A               E

Pavão mysteriozo, pássaro formoso, tudo é mistério nesse teu voar

      A                   G               D

Ah, se eu corresse assim, tantos céus assim

  A               E             A

Muita história eu tinha prá contar

   F#m                    B               F#m

Pavão mysteriozo nessa cauda aberta em leque

Dm                 Am             E7

Me guarda moleque de eterno brincar

    Am               Dm

Me poupa do vexame de morrer tão moço

Am           E              A   A4   A5-   A4

Muita coisa ainda quero olhar

REFRÃO

  F#m                   Am         Am/G

Pavão mysteriozo, meu pássaro formoso

      G                  C

No escuro desta noite me ajuda a cantar

Am                      Dm

Derrama essas faíscas, despeja esse trovão

Am                         E            A   A4   A5-   A4

Desmancha isso tudo que não é certo não

    A               G           D

Pavão mysteriozo, pássaro formoso

A                  E

Um conde raivoso não tarda a chegar

     A                A7           D           Dm

Não temas minha donzela, nossa sorte nessa guerra

A                     E            A

Eles são muitos mas não podem voar


Fascinação

F. D. Marchetti - M. Feraudy

               G7M  F#7M   G7M

Os sonhos mais lin...dos sonhei

             G/B       Bb°     Am7    D7

De quimeras mil um castelo ergui

           Am7                D7

E no seu olhar, tonto de emoção,

             Am7       A7/6       D#9    D9

Com sofreguidão mil venturas previ

O teu corpo é luz, sedução

Poema divino, cheio de esplendor

              C        Bm7     A7/6

Teu sorriso prende, inebria, entontece

          Am7   D7  G7M

És fascinação, amor


Romaria

Renato Teixeira

Intr.: (D/F#   Gm6)   (D   G)

D                G       D           G

É de sonho e de pó o destino de um só

      D             F#     Bm                   F#    F#4    F#

Feito eu perdido em pensamentos sobre o meu cavalo

Bm            E      Bm      E

É de laço e de nó, de gibeira e jiló

       Bm       F#     Bm

Dessa vida comprida a sol

        G   D/F#   Em    A              D   F#  Bm

Sou caipira, Pira...pora, Nossa Senhora de Aparecida

Bm/A  G    D/F#    Em     A                      D    (D4   D   D9)    (D4/7)

Ilu...mina a mina escura e funda o trem da minha vida

O meu pai foi peão, minha mãe, solidão

Meus irmãos perderam-se na vida à custa de aventura

Descasei, joguei, investi, desisti

Se há sorte, eu não sei, nunca vi

REFRÃO

Me disseram, porém, que eu viesse aqui

Prá pedir de romaria e prece paz nos desaventos

Como eu não sei rezar, só queria mostrar meu olhar

Meu olhar, meu olhar

REFRÃO


Madalena

Ivan Lins - Vitor Martins

Intr.: ( C7M  Dm7 )

    C7M          (Dm7       C7M)

Madalena, o meu peito percebeu que o mar é uma gota

                       Gm7    C9

comparado ao pranto meu

      F7M            (Bb/C            F7M)

Fique certa, quando o nosso amor desperta logo o sol se desespera

                   Em      A7

e se esconde lá na serra

     Dm          Dm/C        Bm7

Madalena, o que é meu não se divide

          E7          Am7

Nem tão pouco se admite

         Am7/G         F#m7     B7

Quem do nosso amor duvide

      E7M     F#m7          G#m7

Até a lua se arrisca num palpite

      G7M

Que o nosso amor existe

          C/D             F/G

Forte ou fraco, alegre ou triste


Casa no Campo

Zé Rodrix - Tavito

A

Eu quero uma casa no campo

A7M                                     F#7

Onde eu possa compor muitos rocks rurais

G           Am7       Bm7

E tenha somente a certeza

C7M              F      A           G/A

Dos amigos do peito e nada mais

Eu quero uma casa no campo

Onde eu possa ficar do tamanho da paz

E tenha somente a certeza

                               D

Dos limites do corpo de nada mais

Bm                                     F#7

Eu quero carneiros e cabras pastando solenes no meu jardim

Bm           D                     E7

Eu quero o silêncio das línguas cansadas

A               A7              D             D#°

Eu quero a esperança de óculos e um filho de cuca legal

A             F#m                 G        D        E7

Eu quero plantar e colher com a mão a pimenta e o sal

Eu quero uma casa no campo

Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapê

Bm                 D           B

Onde eu possa plantar meus amigos

               E7             A

Meus discos e livros, e nada mais


Como Nossos Pais

Belchior

Bm7                                      E7

Não quero lhe falar meu grande amor das coisas que aprendi nos discos

A7                                            D

Quero lhe contar como vivi e tudo que aconteceu comigo

  Bm7                        E7

Viver é melhor que sonhar, eu sei que o amor é uma coisa boa

A7                                                              D

Mas também sei que qualquer canto é menor do que a vida de qualquer pessoa

                      A7                    G

Por isso cuidado meu bem, há perigo na esquina

A7                                         D            A4/7       A7

Eles venceram e o sinal está fechado prá nós que somos jovens

D                    D7                 G

Para abraçar seu irmão e beijar sua menina na rua

A7                                           D

É que se fez o seu braço, o seu lábio e a sua voz

             G          C7        D

Você me pergunta pela minha paixão

     B7              Em              A7         D

Digo que estou encantada com uma nova invenção

        F#m           G                C7         D

Eu vou ficar nesta cidade, não vou voltar pro sertão

          B7          Em               A7         D

Pois vejo vir vindo no vento o cheiro da nova estação

         F#m         G          E/G#      A4/7    A7

Eu sei de tudo na ferida viva do meu coração

        D           F#m         G              D          F#m        D

Já faz tempo que eu vi você na rua, cabelo ao vento, gente jovem reunida

      D          F#m              G        E/G#        A4/7      A7

Na parede da memória essa lembrança é o quadro que dói mais

        D                     G                   D                  G

Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo que fizemos

        D        F#m          G       E/G#       A4/7     A7

Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais

        D     F#m            G                D            F#m      G

Nossos ídolos ainda são os mesmos e as aparências não enganam não

      D             F#m    G       E/G#   A7

Você diz que depois deles não apareceu mais ninguém

       D                          G                             D        G

Você pode até dizer que eu 'tô por fora, ou então que eu 'tô inventando

          D               F#m             G    E/G#    A

Mas é você que ama o passado e que não vê

      D              F#m              G

É você que ama o passado e que não vê

      E/G#          A7

Que o novo sempre vem

         D                       G                      D           F#m      G

Hoje eu sei que quem me deu a idéia de uma nova consciência e juventude

        D        F#m        G       E/G#        A4/7    A7

Tá em casa guardado por Deus contando vil metal

        D                     G                   D                     G

Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo que fizemos

        D        F#m          G       E/G#    A7

Ainda somos os mesmos e vivemos

        D        F#m          G       E/G#       A4/7     A7

Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais


O Bêbado e a Equilibrista

João Bosco - Aldir Blanc

   A   A7M              A7M/6

Caía a tarde feito um viaduto

                          Em/C#    F#7   Bm7

E um bêbado trajando luto me lembrou Carlitos

  Bm  Bm7M                 Bm7

A lua  tal qual a dona do bordel

                      E7           Bm7 E7  A7M   F#7/5+   Bm7

Pedia a cada estrela fria um brilho de a...lu...guel

E7  A   Bm7  C#m7         D7M     A7M/6

E  nuvens   lá no mata-borrão do céu

                         Em/G  F#7   Em/C#   F#7   Bm7     Dm7    G7/6

Chupavam manchas torturadas,     que     sufoco     louco

                     C#m7    F#m7               B7/6    B7/6-

O bêbado com chapéu coco    fazia irreverências mil

         Bm7  Em7/9 A7M   E7

Prá noite do   Bra...sil,   meu Brasil

     A           A7M                  A7M/6

Que sonha com a volta do irmão do Henfil

                               Em/C#  F7M   Bm7M

Com tanta gente que partiu num rabo de foguete

Bm7    Bm7M                 Bm7

Chora a nossa pátria mãe gentil

                    E7            Bm7   E7  A7M   F#7/5+   Bm7   E7

Choram marias e clarisses no solo do   Brasil

      A  Bm7 C#m7        D7M    A7M/6                     Em/G    F#7

Mas sei    que uma dor assim pungente não há de ser inutilmente

Em/C#    F#7 Bm7    Dm7   G7/6                          C#m7

A     espe...rança   dança       na corda bamba de sombrinha

  F#m7                 B7/6  B7/6-    Bm7  Em7/9  C#°   

E em cada passo dessa linha pode se ma...chu...car

Dm7   G7/6              C#m7

Azar,  a esperança equilibrista

F#m7                      B7/6  B7/6-        Bm7  E7   A7M

Sabe que o show de todo artista tem que conti...nu...ar


Canteiros

Fagner - Cecília Meireles

Intr.: D  G

D                    A  Bm       Bm/A          G    D

Quando penso em você   fecho os olhos de saudade

                  A   G          F#    A/B    A7

Tenho tido muita coisa,  menos a felicidade

D                       A    Bm           Bm/A          G     D

Correm os meus dedos longos   em versos tristes que invento

                         A            F#            A/B

Nem aquilo a que me entrego   já me traz contentamento

      D7          G         C7        F

Pode ser até manhã, cedo claro feito dia

                     Gm        A             Dm

Mas nada do que me dizem me faz sentir alegria

    D7             Gm        C7              F

Eu só queria ter no mato um gosto de framboesa

                       Gm      A                  Dm

Prá correr entre os canteiros e esconder minha tristeza

(Dm   Dm/C   Dm/B   Dm/Bb)

Que eu ainda sou bem moço prá tanta tristeza

E deixemos de coisa, cuidemos da vida,

Pois se não chega a morte ou coisa parecida

E nos arrasta moço, sem ter visto a vida


Revelação

Clodô - Clésio

Intr.: ( Am  Am/G  F7M  E4  E7 )

Am            Am/G         F7M

Um dia vestido de saudade viva

G            E4   E7

Faz ressuscitar

Am             Am/G           F7M

Casas mal vividas, camas repartidas

G           E  F#m    E7/G#

Faz se revelar

A               C#m              Em7   A7           D   Dm

Quando a gente tenta de toda maneira dele se guardar

              A     F#m           B4/7   B7

Sentimento ilhado, morto, amordaçado

Bm  E7         A   (Am)

Volta a incomodar


Eternas Ondas

Zé Ramalho

Tom: C#m

C#m   D#m7/5-                        G#            C#m

      Quanto tempo temos antes de voltarem aquelas ondas

F#m                        B7     G#     C#m

Que vieram como gotas de silêncio tão furioso;

E                              G#

Derrubando homens entre outros animais,

D#m7/5-      G#              C#m

Devastando a sede desses matagais (bis);

F#m                      G#

Derrubando árvores, pensamentos seguindo

  C#m   F#m                           B7   G#    C#m

A linha do que foi escrito pelo mesmo lado tão furioso,

E                            G#       D#m7/5-

E se teu amigo vento não te procurar

              G#               C#m

É porque multidões ele foi arrastar (bis).


Canção da Despedida

Geraldo Azevedo - Geraldo Vandré

Intr.: C G/B F/A  Fm/Ab  C/G  C/E  F  Fm/Ab

       Am  Am/G  D/F#  Fm  C  D/F#  F  C  F/G

       C  Bb7/F

    C    F/C        C             Bb    Bm5-/7   E7

Já vou embora, mas sei que vou voltar,

  Am  Am/G   D/F#        F7M      E7   Am7   F/G

Amor     não chora se eu volto é pra ficar

  C       F/C          C           Bb    Bm5-/7   E7

Amor não chora, que a hora é de deixar,

   Am  Am/G   D/F#      F7M     E7   Am7    G7

O amor    de agora, pra sempre ele ficar

     C    G/B  Am7 G  F    G     C    G/B

Eu quis ficar   aqui, mas não podia

  Am7    G      F    G        C

O meu caminho a ti, não conduzia

            Em7   A7     Dm

Um rei mal coroado, não queria,

   Bm7    Bb7     Am7  F7M      D/F#

O amor em seu reinado,   pois sabia,

    G        C

Não ia ser amado,

  G/B     Am   G   F     G      C    G/B

Amor não chora,    eu volto um dia,

   Am      G       F    G      C

Um rei velho e cansado, já morria,

                Em7   A7    Dm

Perdido em seu reinado, sem Maria,

       Bm7   Bb7   Am7

Quando eu me despedia,

  F      D/F#   G     C      F/G

E no meu canto lhe dizia

(REFRÃO)


Disparada

Geraldo Vandré - Théo

    D             G        D                  G

Prepare o seu coração prás coisas que eu vou contar

    C            Bm     C    Am    D   G

Eu venho lá do sertão, eu venho lá do sertão

         B7      Em    C    Am        D  G

Eu venho lá do sertão e posso não lhe agradar

       D       G         D            G

Aprendi a dizer não, ver a morte sem chorar

     C              Bm      C       Am   D   G

E a morte, o destino, tudo, a morte e o destino, tudo

        B7       Em    C   Am     D   G

Estava fora do lugar, eu vivo prá consertar

     G7         C          A7         D

Na boiada já fui boi, mas um dia me montei

        B7        Em      C       D         G

Não por um motivo meu, ou de quem comigo houvesse

         B7         Em           B7         C

Que qualquer querer tivesse, porém por necessidade

        Am        D  G   C      Am    D  G

Do dono de uma boiada   cujo vaqueiro morreu

     D          G          D           G

Boiadeiro muito tempo, laço firme e braço forte

       C          Bm    C   Am   D    G

Muito gado, muita gente, pela vida segurei

        B7       Em       C  Am       D   G

Seguia como num sonho, e boiadeiro era um rei

        D          G         D              G

Mas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo

       C              Bm     C    Am       D   G

E nos sonhos que fui sonhando, as visões se clareando

      B7        Em      C        Am    D   G

As visões se clareando, até que um dia acordei

    D              G    D               G

Então não pude seguir valente em lugar tenente

   C             Bm   C       Am     D     G

E dono de gado e gente, porque gado a gente marca

        B7            Em     C       Am     D   G

Tange, ferra, engorda e mata, mas com gente é diferente

      D            G      D              G

Se você não concordar não posso me desculpar

     C             Bm  C    Am     D  G

Não canto prá enganar, vou pegar minha viola

       B7        Em    C     Am      D    G

Vou deixar você de lado, vou cantar noutro lugar

      G7        C       A        D

Na boiada já fui boi, boiadeiro já fui rei

         B7             Em       C    Am     D   G

Não por mim nem por ninguém, que junto comigo houvesse

      B7             C             B7           C

Que quisesse ou que pudesse, por qualquer coisa de seu

          B7         C                Am      D   G

Por qualquer coisa de seu querer ir mais longe do que eu

        D         G          D              G

Mas o mundo foi rodando nas patas do meu cavalo

   C               Bm       C       G

E já que um dia montei agora sou cavaleiro

     B7           Em        C    Am     D    G

Laço firme e braço forte num reino que não tem rei

(G7  C  D  G)


Prá Não Dizer que Não Falei das Flores

Geraldo Vandré

Intr.: Am  G

Caminhando e cantando e seguindo a canção

Somos todos iguais, braços dados ou não

Nas escolas, nas ruas, campos, construções

Caminhando e cantando e seguindo a canção

Vem, vamos embora que esperar não é saber

Quem sabe faz a hora não espera acontecer

Pelos campos a fome em grandes plantações

Pelas ruas marchando indecisos cordões

Ainda fazem da flor seu mais forte refrão

E acreditam nas flores vencendo canhão

REFRÃO

Há soldados armados, amados ou não

Quase todos perdidos de armas na mão

Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição

De morrer pela pátria e viver sem razão

REFRÃO

Nas escolas, nas ruas, campos, construções

Somos todos soldados, armados ou não

Caminhando e cantando e seguindo a canção

Somos todos iguais, braços dados ou não

Os amores na mente, as flores no chão

A certeza na frente, a história na mão

Caminhando e cantando e seguindo a canção

Aprendendo e ensinando uma nova lição

REFRÃO


Não Chores Mais

Gilberto Gil (versão)

Intr.: G7  C  G/B  Am  F  C  G  C  G7

C  G/B         Am   F

No woman, no cry

C    G          C    G7

No woman, no cry                      BIS

C                 G/B    Am              F  C             G          C    G7

Bem que eu me lembro a gente sentado ali  na grama do aterro sob o sol

Observando hipócritas disfarçados, rondando ao redor

Amigos presos, amigos sumindo assim, prá nunca mais

Nas recordações, retratos do mal em si, melhor é deixar prá trás

Não, não chore mais

Não, não chore mais

Bem que eu me lembro a gente sentado ali na grama do aterro sob o céu

Observando estrelas junto à fogueirinha de papel

Quentar o frio, requentar o pão e comer com você

Os pés, de manhã, pisar o chão, eu sei a garra de viver

C         F       C

Mas, se Deus quiser

C                G/B        Am               F

Tudo, tudo, tudo vai dar pé, tudo, tudo, tudo vai dar pé

Tudo, tudo, tudo vai dar pé, tudo, tudo, tudo vai dar pé

Tudo, tudo, tudo vai dar pé, tudo, tudo, tudo vai dar pé

Não, não chore mais

Não, não chore mais


Xodó

Gilberto Gil

Intr.: ( D  G  D  A7 )

     D            Bm     F#m

Que falta eu sinto de um bem

     G           A7     D    A7

Que falta me faz um xodó

      D           Bm        F#m

Mas como eu não tenho ninguém

    G            A7       D

Eu levo a vida assim tão só

      Am7           D7

Eu só quero um amor

      Am7             E

Que acabe o meu sofrer

      Bm     Em          Bm     Em

Um xodó prá mim do meu jeito assim

      G  F#m    Em   A7  D

Que alegre o   meu  viver


Marina

Dorival Caymmi

  D7M              B7               Em   B7   B7/5+

Marina, morena, Marina, você se pintou

   Em             A7                D7M

Marina você faça tudo mas faça o favor

     Bm                    Bm7              F#m     B7

Não pinte esse rosto que eu gosto e que é só meu

   E7                                     Em      A7/5+

Marina você já é bonita com que Deus lhe deu

   D7M                B7                Em    B7    B7/5+

Me aborreci, me zanguei, já não posso falar

   Em                     A7                F#7/6    F#5+    B7

E quando eu me zango, Marina, não sei perdoar

   G7M               C7/9

Eu já desculpei tanta coisa

   D7M                     B7/6    B7/5+

Você não arranjava outro igual

    Em               A7

Desculpe, morena Marina

              D7M     G7M

Mas eu tô de mal

    C7/9      D7M    G7M

De mal com você

    C7/9      D7M

De mal com você


Se Eu Quiser Falar com Deus

Gilberto Gil

Intr.: ( F#m7  F7M  D/E )

A7M     G#m4/7  C#7/9-   F#m7  A7  D7M       Dm6       A7M

Se eu quiser falar com Deus         tenho que ficar a sós

        G#m4/7  C#7/9- F#m7  A7  D7M       Dm6       A7M    Bm5/7-  Ab°

Tenho que apagar a luz,           tenho que calar a voz

A7M     G#m4/7   C#7/9- F#m7+  F#m7  Em7  Eb5-/7  D7M      Dm6         Em6

Tenho que encontrar a paz,                      tenho que folgar os nós

        D7M         C#7/9-       F#m7         G7M

Dos sapatos, da gravata, dos desejos, dos receios

        G#m5-/7 C#7/9-  F#m7         D#°         A7M

Tenho que esquecer a data, tenho que perder a conta

                    F#m7       F7M      D/E    A7M

Tenho que ter mãos vazias, ter a alma e o corpo nus

A7M     G#m4/7  C#7/9-   F#m7  A7  D7M       Dm6         A7M

Se eu quiser falar com Deus         tenho que aceitar a dor

     G#m4/7  C#7/9-  F#m7  A7  D7M       Dm6        A7M    Bm5/7-  Ab°

Tenho que comer o pão           que o diabo amassou

A7M   G#m4/7  C#7/9-  F#m7+  F#m7  Em7  Eb5-/7  D7M       Dm6         Em6

Tenho que virar um cão,                          tenho que lamber o chão

      D7M            C#7/9-      F#m7          G7M

Dos palácios, dos castelos suntuosos do meu sonho

     G#m5-/7  C#7/9-  F#m7          D#°             A7M

Tenho que me ver tristonho, tenho que me achar medonho

                    F#m7        F7M     D/E   A7M

E apesar de um mal tamanho alegrar meu coração

A7M     G#m4/7  C#7/9-   F#m7  A7  D7M       Dm6          A7M

Se eu quiser falar com Deus         tenho que me aventurar

     G#m4/7  C#7/9-  F#m7  A7  D7M      Dm6           A7M    Bm5/7-  Ab°

Tenho que subir aos céus        sem cordas prá segurar

A7M   G#m4/7  C#7/9-  F#m7+  F#m7  Em7  Eb5-/7  D7M      Dm6          Em6

Tenho que dizer adeus,                          dar as costas, caminhar

    D7M        C#7/9-           F#m7           G7M

Decidido pela estrada que ao findar vai dar em nada

    G#m5-/7  C#7/9-  F#m7       D#°          A7M

Nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada,

                 F#m7         F7M    D/E       A7M

Nada, nada, nada, nada do que eu pensava encontrar


Super-Homem, a Canção

Gilberto Gil

Intr.: A7M     A7M 

    A7M                                   A7M

Um dia   vivi a ilusão de que ser homem bastaria

                                G#m7

Que o mundo masculino tudo me daria

C#7/9-               F#7M

Do que eu quisesse ter

    A7M                                               A7M

Que nada, minha porção mulher que até então se resguardara

                                  G#m7

É a porção melhor que trago em mim agora

C#7/9-            F#7M   Em7   A7

É o que me faz viver

       D7M  D#º                             C#m7                 F#7/9-

Quem dera   pudesse todo homem compreender, ó mãe, quem dera

                               Bm7

Ser o verão no apogeu da primavera

        F#7/9-  B7/9   Bm7    E7/9-

E só por ela   ser

     A7M                                          A7M

Quem sabe   o super-homem venha nos restituir a glória

                                     Bm

Mudando como um Deus o curso da história

E7/9                A   Dm7   G7   C      C      Bm7   E7/9-

Por causa da mulher

Quem sabe o super-homem venha nos restituir a glória

Mudando como um Deus o curso da história

Por causa da mulher


Esotérico

Gilberto Gil

Intr.: G  F#m  Em  A  Bm  D  G  F#m  Em  A  (D  Bm  G)

D      Bm            E/D

Não adianta nem me abandonar

                                         D

Porque mistério sempre há de pintar por aí

          Bm         E/D           G

Pessoas até muito mais vão lhe amar

                                      D

Até muito mais difíceis que eu prá você

              G                                     D

Que eu, que dois, que dez, que dez milhões, todos iguais

F#7                    Bm

Até que nem tanto esotérico assim

       E7                                    A7    Ab5-/7   G

Se eu sou algo incompreensível, meu Deus é mais

Gm                        D

Mistério sempre há de pintar por aí

D       Bm           E/D                       G

Não adianta nem me abandonar (não adianta não)

Nem ficar tão apaixonada, que nada

Que não sabe nada

                         D

Que morre afogada por mim


Vamos Fugir

Gilberto Gil - Liminha

Intr.: D  E7  F#m

          A           E7               F#m

Vamos fugir deste lugar, baby, vamos fugir

        D               E7             F#m

Tô cansado de esperar que você me carregue

Vamos fugir pr'outro lugar, baby

Vamos fugir

Pr'onde quer que você vá, que você me carregue

               A     E7    D

Pois diga que irá, Irajá, Irajá

                                        A       E7       D

Prá onde eu só veja você, você veja mim só, Marajó, Marajó

Qualquer outro lugar comum, outro lugar qualquer, Guaporé, Guaporé

Qualquer outro lugar ao sol, outro lugar ao sul, céu azul, céu azul

                                                 E  D  E  D

Onde haja só o meu corpo nu junto ao seu corpo nu

Vamos fugir pr'outro lugar, baby

Vamos fugir

Pr'onde haja um tobogã onde a gente escorregue

REPETE

      D             E7                F#m

Todo dia de manhã flores que a gente regue

Uma banda de maçã, outra banda de reggae

Tô cansado de esperar que você me carregue

Prá onde quer que você vá, que você me carregue

Prá onde haja um tobogã onde a gente escorregue


Tempo Rei

Gilberto Gil

Intr.: Em  D  C  G  G4  G  G4

         G                            Bm

Não me iludo, tudo permanecerá de um jeito

                       A

Que tem sido, transcorrendo, transformando

Am                         D7/9

Tempo e espaço navegando todos os sentidos

G                     Bm

Pães de Açúcar, Corcovados

A                 E7                 A    D4/7

Fustigados pela chuva e pelo eterno vento

       G          Bm

Água mole, pedra dura

A                        E7             A    D4/7

Tanto bate que não restará nem pensamento

        G           D           G    D         G            D          Em    D

Tempo rei, ó tempo rei, ó tempo rei,  transformai as velhas formas do viver

      G             D            G     D          G          D          Em    F7M

Ensinai, ó Pai, o que eu ainda não sei,   mãe senhora do Perpétuo socorrei

        G                             Bm

Pensamento, mesmo fundamento singular

                          A

Do ser humano, de um momento para o outro

      Am                     D4/7

Poderá não mais fundar nem gregos nem baianos

         G           Bm

Mães zelosas, pais corujas

A                          E7          A    D4/7

Vejam como as águas de repente ficam sujas

        G              Bm

Não se iludam, não me iludo

A                          E7            A      D4/7

Tudo agora mesmo pode estar por um segundo


A Paz

João Donato - Gilberto Gil

Intr.: Bm Am C D7

   G                    Am

A paz invadindo meu coração

     D7                  G

De repente me encheu de paz

                        Am

Como se o vento de um tufão

     D7                Bb7M

Arrancasse meus pés do chão

                            Am7

Onde um dia não me enterro mais

   G                      Am

A paz fez um mar da revolução

     D7                G

Invadir meu destino a paz

                        Am

Como aquela grande explosão

   D7             Bb7M

Um bomba sobre o Japão

                       Am

Fez nascer um Japão na paz

      Bb7M             Gm

Eu pensei em mim eu pensei em ti

      Am7      D7/4    D7

Eu chorei por nós

       Bbm7           Gm

Que contradição só a guerra faz

       Am7     D7/4    D7

Nosso amor em paz

    G                        Am

Eu vim vim para na beira do cais

          D7              G

Onde a estrada chegou ao fim

                        Am

Onde o fim da tarde é lilás

       D7               Bbm7

Onde o mar arrebenta em mim

                    D7/4    D7

O lamento de tantos ais


Meu Mundo e Nada Mais

Guilherme Arantes

Intr.: E°  G    G    Am7  D7  G

G                  G          Bm

Quando eu fui ferido vi tudo mudar

Dm               G      C    F    C

Das verdades que eu sabia

Só sobraram restos que eu não esqueci

Toda aquela paz que eu tinha

C             G                D               G

Eu que tinha tudo hoje estou mudo, estou mudado

        Em           Am          D

À meia-noite, à meia luz, pensando

       G            C     D       G

Daria tudo por um modo de esquecer

C          G                 D            G

Eu queria tanto estar no escuro do meu quarto

        Em           Am       D

À meia-noite, à meia luz, sonhando

       G              C       D     G    (E°  G)    Am    D   G

Daria tudo por meu mundo e nada mais

Não estou bem certo se ainda vou sorrir

Sem um traço de amargura

Como ser mais livre, como ser capaz

De enfrentar um novo dia


Brincar de Viver

Guilherme Arantes

Intr.: A  C#m7  D7M  Dm

A             A7M      D

Quem me chamou não vai querer voltar pro ninho

A         A7M        D     Dm

E redescobrir seu lugar

A        A7M    D

Prá retornar e enfrentar o dia-a-dia

A       A7M        D     E/G#

Reaprender a sonhar

        E7                Em/G          A7            D/F#

Você verá que é mesmo assim, que a história não tem fim

D          Bm7           E7          A7M           D7M

Continua sempre o que você responde sim à sua imaginação

  Bm7          E7                        A7M    C#m7    D7M    D/E

A arte de sorrir cada vez que o mundo diz não

Você verá que a emoção começa agora

Agora é brincar de viver

Não esquecer, ninguém é o centro do universo

Assim é maior o prazer

                         A7M     C#m     D7M

Você verá ... o mundo diz não

C      Em7     Dm  Fm               C             Dm7  G7

E eu desejo amar   todos que eu cruzar pelo meu caminho

C     Em7   Dm     E7        Am7

Como sou feliz, eu quero ver feliz

Am/G            F  E7    A     C#m7    D

Quem andar comi...go,    vem


Planeta Água

Guilherme Arantes

Intr.: A7  D

A4/7       A7        D                A7

Água que nasce na fonte serena do mundo

                   D4        D

E que abre um profundo grotão

A4/7       A7      D               A7                D4      D

Água que faz inocente riacho e deságua na corrente do ribeirão

Bm                 F#7             A4/7    A7         G

Águas escuras dos rios que levam a fertilidade ao sertão

Bm                 F#7               A4/7      A7     G

Águas que banham aldeias e matam a sede da população

D                    G/D                  A/C#                Bm

Águas que caem das pedras no véu das cascatas, ronco de trovão

F#/Bb                 Bm      Bm/A     G7M      G6       D4   D

E depois dormem tranqüilas no leito dos lagos, no leito dos lagos

A4/7       A7     D                   A7             D4       D

Água dos igarapés, onde Iara, a mãe d'água é misteriosa canção

A4/7         A7      D                 A7               D4      D

Água que o sol evapora, pro céu vai embora, virar nuvem de algodão

Bm               F#7               A4/7       A7        G

Gotas de água da chuva, alegre arco-íris sobre a plantação

Bm               F#7                    A4/7         A7      G

Gotas de água da chuva, tão tristes, são lágrimas na inundação

D                   G/D                     A7                       Bm

Águas que movem moinhos são as mesmas águas que encharcam o chão

F#/Bb               Bm       Bm/A     G7M       G6        D

E sempre voltam humildes pro fundo da terra, pro fundo da terra

(Bm  F#m         G  D)

Terra,    planeta água                                            (2x)

              G   A4/7   D

Terra, planeta á...gua


Êxtase

Guilherme Arantes

Intr.: A  D

A                               D

Eu nem sonhava te amar desse jeito, hoje nasceu novo sol no meu peito

Quero acordar te sentindo ao meu lado, viver o êxtase de ser amado

Bm                                G7M  C#m5-/7      F#7                Bm    G

Espero que a música que eu canto agora possa expressar o meu súbito amor

Com sua ajuda tranqüila e serena vou aprendendo que amar vale a pena

Que essa amizade é tão gratificante, que esse diálogo é muito importante

Espero que a música que eu canto agora possa expressar o meu súbito amor

Eu nem sonhava te amar desse jeito


Pedacinhos

Guilherme Arantes

Intr.: D7M  Bm7  G7M  Gm6

       D7M  Bm7  Bb7M  Eb7/9

    D7M           Bm7         G7M         Gm6           D7M

Pra que ficar juntando os pedacinhos, do amor que se acabou

Bm7        E7       Gm/A           A7

Nada vai colar, nada vai trazer de volta,

    D7M        Bm7       G7M          Gm6          D7M

A beleza cristalina do começo, e os remendos pegam mal,

Bm7           E7     Am7         B5+/7      E7/4    E7

Logo vão quebrar, afinal a gente sofre de teimoso,

          Gm6        D7M

Quando esquece do prazer

  Bm7                      E7

Adeus também foi feito pra se dizer

   G/A        A7/9      F#m7 

Bye, bye,  so long,   farewell

 Bm7                       E7          D4   D

Adeus também foi feito pra se dizer

    D7M           Bm7            G7M     Gm6           D7M

Pra que tornar as coisas tão sombrias na hora de partir,

Bm7               E7          Gm/A           A7

Por que não se abrir  se o que vale é o sentimento,

        D7M          Bm7         G7M           Gm6          D7M

E não palavras quase sempre traiçoeiras, e é bobeira se enganar,

Bm7            E7    Am7          B5+/7       E7/4    E7

Melhor nem tentar  afinal a gente sofre de teimoso,

          Gm6        D7M

Quando esquece do prazer

(REFRÃO)


Cartomante

Ivan Lins - Vítor Martins

D          G/D    Dm           A/C#

Nos dias de hoje é bom que se proteja

B4/7      E7   A4/7               A7

Ofereça a face prá quem quer que seja

D           G/D Dm         A/C#

Nos dias de hoje esteja tranqüilo

B4/7           E7  A4/7           A7

Haja o que houver, pense nos seus filhos

Dm                 Dm/C

Não ande nos bares, esqueça os amigos

F7           B7M    Bm7/5-     E7  A7M

Não pare nas praças, não   corra perigo

Dm              Dm/C

Não fale do medo que temos da vida

F7          B7M  Bm7/5-   E7     A4/7     D4

Não ponha o dedo  na    nossa ferida

Nos dias de hoje não lhes dê motivo

Porque na verdade eu te quero vivo

Tenha paciência, Deus está contigo

Deus está conosco até o pescoço

Já está escrito, já está previsto

Por todas videntes, pelas cartomantes

Tá tudo nas cartas, em todas estrelas

No jogo dos búzios e nas profecias

Cai o rei de espadas, cai o rei de ouros

Cai o rei de paus, cai, não fica nada


Bandeira do Divino

Ivan Lins - Vitor Martins

      E                   A

Os devotos do divino vão abrir sua morada

        F#7                   B4/7   B7    E

Prá bandeira do menino ser bem-vinda, ser louvada, ah, ai

Deus vos salve esse devoto pela esmola em vosso nome

                                                                     Bb/C

Dando água a quem tem sede, dando pão a quem tem fome, ah, ai

      F                     Bb

A bandeira acredita que a semente seja tanta

           G7                    C4/7   C7    F

Que essa mesa seja farta, que essa casa seja santa, ah, ai

Que o perdão seja sagrado, que a fé seja infinita

                                                        B/C#

Que o homem seja livre, que a justiça sobreviva, ah, ai

       F#                            B

Assim como os três reis magos que seguiram a estrela guia

      G#7                      C#4/7  C#7    F#

A bandeira segue em frente atrás de melhores dias, ah, ai

No estandarte vai escrito que ele voltará de novo

E o rei será bendito, ele nascerá do povo, ah, ai


Mestre-sala dos Mares

João Bosco - Aldir Blanc

     E                        E7M     E/G#              F#m

Há muito tempo nas águas da Guanabara o dragão do mar reapareceu

                B7                                E          E    Eb7    D7

Na figura de um bravo feiticeiro a quem a história não esqueceu

C#7            F#7             D#m7        G#7        C#m

Conhecido como navegante negro, tinha a dignidade de um mestre-sala

                          F#7

E ao acenar pelo mar na alegria das regatas

Foi saudado no porto pelas mocinhas francesas

        Am/C             B7        E

Jovens polacas e por batalhões de mulatas

D7  C#7    F#7    D#m7                  G#7          C#m

Rubras cascatas jorravam das costas dos santos entre cantos e chibatas

    C#m7         F#7

Inundando o coração do pessoal do porão

       Am7           B7     E          B7

Que a exemplo do feiticeiro gritava então

  E          A         B/A         E     F#m     B7

Glória aos piratas, às mulatas, às sereias

  E        A        B7         E

Glória à farofa, à cachaça, às baleias

(D7   C#7)

Glória a todas as lutas em glória

                                                A

Que através da nossa história não esquecemos jamais

                E  C#7                 F#7

Salve o navegante negro que tem por monumento

   Am       B7        E

As pedras pisadas do cais


De Frente pro Crime

João Bosco - Aldir Blanc

                           E

'Tá lá o corpo estendido no chão

                       A7        C#m7/9

Em vez de um rosto uma foto de um gol

                              C#m/B

Em vez de reza uma praga de alguém

 A7M          G#m4/7    C#m4/7   A/B

E um silêncio servindo de amém

   E               A7       E

O bar mais perto depressa lotou

                    A7    C#m7/9

Malandro junto com trabalhador

                           C#m/B

Um homem subiu na mesa do bar

  A7             B7    E7/9

E fez discurso prá vereador

                   A7     B7            E7

Veio camelô vender anel, cordão, perfume barato

                       A7      B7               E7

E a baiana prá fazer pastel e um bom churrasco de gato

                          A7   B7                E7

Quatro horas da manhã baixou o santo na porta-bandeira

                      A7      B7

E a moçada resolveu parar, e então...

'Tá lá o corpo estendido no chão

Em vez de um rosto uma foto de um gol

Em vez de reza uma praga de alguém

E um silêncio servindo de amém

Sem pressa foi cada um pro seu lado

Pensando numa mulher ou num time

Olhei o corpo no chão e fechei

Minha janela de frente pro crime


Nada Por Mim

H. Vianna - P. Toller

C7M          Dm7     Gm7

Você me tem fácil demais

           C7/9     D/F#     Fm6            C9

Mas não parece capaz de cuidar do que possui

C7M      Dm7        Gm7            C7/9        D/F#

Você sorriu e me propôs que eu te deixasse em paz

         Fm6         C7M

'Cê disse vá e eu não fui

F/A         Fm/Ab   C9       D/F#

Não faça assim,   não faça nada por mim

F7M         Fm                 C

Não vá pensando que eu sou seu

Você me diz o que fazer, mas não procura entender

Que eu faço só prá te agradar, te agradar

Me diz até o que vestir, por onde andar, onde ir

Mas não me pede prá voltar


Pintura Íntima

Leoni - Paula Toller

Intr.: ( E  A  B7  E )   ( A  B )

A       B           A      B

Vem amor que a hora é essa

Vê se entende a minha pressa

Não me diz que eu tô errado

Eu tô seco, eu tô molhado

Deixa as contas que no fim das contas

O que interessa prá nós é

E        A      B7     E   A   B7    E          A    B7   E     A  B7  E  (A  B)

Fazer amor de madrugada,           amor com jeito de virada

Larga logo desse espelho

Não reparou que eu tô até vermelho

Tá ficando tarde no meu edredon

Logo o sono bate

REFRÃO


Como Eu Quero

C                          G

Diz pra eu ficar muda, faz cara de mistério,

Am                        F

Tira essa bermuda que eu quero você sério

 C                        G

Dramas do sucesso, mundo particular,

Am                     F

Solos de guitarra não vão me conquistar

Am      Em                  F

Uh, eu quero você, como eu quero     (x2)

O que você precisa é de um retoque total,

Vou transformar o seu rascunho em arte final

Agora não tem jeito, "cê" tá numa cilada,

Cada um por si, você por mim mais nada

REFRÃO

Dm        F             C                 G

Longe do meu domínio, você vai de mal a pior

Dm               F              C

Vem que eu te ensino, como ser bem melhor    (x2)

REFRÃO


Paixão

Intr.: ( E6  A9 )

E                 A7M   E                     A7M

Amo tua voz e tua cor, e o teu jeito de fazer amor

E                        D/E                    A7M

Revirando os olhos e o tapete, suspirando em falsete

                          D7/9

Coisas que eu nem sei contar

Ser feliz é tudo que se quer, ah, esse maldito fecho-ecler

De repente a gente rasga a roupa e uma febre muito louca

Faz o corpo arrepiar

E                            F#7

Depois do terceiro ou quarto copo

                A7M                       E

Tudo que vier eu topo, tudo que vier, vem bem

Quando bebo perco o juízo

                                                 ( E6   A9 )

Não me responsabilizo nem por mim nem por ninguém

Não quero ficar na tua vida como uma paixão mal resolvida

Dessas que a gente tem ciúme e se encharca de perfume

Faz que tenta se matar

Vou ficar até o fim do dia decorando tua geografia

E essa aventura em carne e osso deixa marcas no pescoço

Faz a gente levitar

Tens um não sei quê de paraíso

E o corpo mais preciso que o mais lindo dos mortais

Tens uma beleza infinita

E a boca mais bonita que a minha já tocou


Fonte da Saudade

Intr.: E  Am/E  E  C7  B7  E

E             Am/E          A7M          G#7    C#m7

Esse quarto é bem pequeno prá te suportar

             A7M          F#m7          A/B    B7

Muito amor, muito veneno prá pouco lugar

E               Am/E        A7M         G#7    C#m7

O teu corpo é uma serpente a me provocar

            A7M         F#m7          B7

E teu beijo a aguardente a me embriagar

E          E7M        E7           A7M

Essa boca muito louca pode me matar

E              Bm7    E7    A7M        A/B    B7

Se isso é coisa do demônio, eu quero pecar

Fecha a luz, apaga a porta, vem me carinhar

Dia aí prá minha tia que eu fui viajar

Diz que fui prá Nova York ou prá Bagdá

E que isso não é hora de telefonar

E             E7M        E7           A7M

Eu já sei que qualquer dia tudo vai dançar

E           Bm7    E7   A7M          A/B   B7  E

Mas a fonte da saudade nem o tempo vai  secar


Trova

Intr.: ( A7  D )

- O tchê este desafio me deixa muito orgulhoso

  Tu tens fama de valente, de taura e de gostoso

  Mas eu acabo contigo ou não me chamo João Cardoso

- Teu nome é João Cardoso, mas te chamam de Odete

  De dia tu é muito macho, de noite vira vedete

  E o que corta por dois lados ma minha terra é gilete

- Na tua terra é gilete, pois vem que eu te passo a faca

  Vai cuidar da tua menina, sirigaita essa polaca

  Namora com meio mundo, te botou chapéu de vaca

- Me botou chapéu de vaca, que falta de educação

  Tu é muito ignorante, precisa de uma lição

  Se eu tenho cara de vaca, vem cá, terneiro mamão

- Vem cá, terneiro mamão, dobra essa língua ou engole

  Depois desse desaforo não há mais quem me console

  E eu não sou de perder trova prá gaúcho bunda mole

- Me chamou de bunda mole, bunda mole é rapadura

  É melhor ir terminando que a coisa já tá escura

                                             D   B7   ( E   B7 )

  Fica o dito por não dito, e bota água na fervura

- Tá combinado, compadre, subiu a temperatura

- As moças já tão rosada, também, com tanta grossura

= Daqui a pouco se ofendemo de filho da ditadura

  Os home pode invocar e fecha a tal da abertura


Deu prá ti

Kleiton - Kledir

Intr.: ( D )  G

G       D4/7   Em7      Bm7   C

Deu prá ti,    baixo astral

         Bm7            C/D

Vou prá Porto Alegre, tchau

C7M        G/B                C/D

Quando eu ando assim, meio down

C7M     Bm7          C/D

Vou prá Porto e bah, tri legal

C7M    Bm7    Dm7   G7

Coisas de magia, sei lá

C7M     Bm7  C/D

Paralelo trinta

REFRÃO

Alô tchurma do Bonfim

As guria tão tri afim

Garopaba ou bar João

Beladona e chimarrão

REFRÃO

Que saudade da redenção

Do Fogaça e do Falcão

Cobertor de orelha pro frio

E a galera do Beira Rio


Será

Dado Villa-Lobos - R. Russo - Marcelo Bonfá

Intr.: ( A  E  D )

A           E          F#m         D         A

Tire suas mãos de mim, eu não pertenço a você

Não é me dominando assim que você vai me entender

A                  E     F#m               D            F#m

Eu posso estar sozinho, mas eu sei muito bem aonde estou

                       D                  E   A   E   D

Você pode até duvidar, acho que isso não é amor

(E               Bm)

Será só imaginação

Será que nada vai acontecer

Será que é tudo isso em vão

                                   F#m   D   E   (A   E   D)

Será que vamos conseguir vencer

Nos perderemos entre monstros da nossa própria criação

Serão noites inteiras, talvez por medo da escuridão

Ficaremos acordados imaginando alguma solução

Prá que esse nosso egoísmo não destrua nosso coração

REFRÃO

    A               E/G#

Brigar prá quê, se é sem querer

      A7            Bm7

Quem é que vai nos proteger

    A                   E/G#

Será que vamos ter que responder

      A7           Bm        E    (D)

Pelos erros a mais, eu e você


Ainda é Cedo

Renato Russo - Renato Rocha

Intr.: (Dm C Am)

                   Dm  C

Uma menina me ensinou

                   Am

Quase tudo que eu sei

                  Dm

Era quase escravidão

    C                      Am

Mas ela me tratava como um rei

                 Dm     C

Ela fazia muitos planos

                     Am

Eu só queria estar ali

               Dm

Sempre ao lado dela

        C         Am

Eu não tinha onde ir

                    Dm   C

Mas, egoísta que eu sou,

                 Am

Me esqueci de ajudar

                     Dm  C

A ela como ela me ajudou

                   Am

E não quis me separar

                     Dm

Ela também estava perdida

      C                         Am

E por isso se agarrava a mim também

                   Am

E eu me agarrava a ela

              C               Am

Porque eu não tinha mais ninguém

                      Dm         C           Am

E eu dizia: Ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo

                  Dm  C

Sei que ela terminou

                 Am

O que eu não comecei

                   Dm  C

E o que ela descobriu

                       Am

Eu aprendi também, eu sei

                          Dm

Ela me falou: - Você tem medo

       C                         Am

Aí eu disse: - Quem tem medo é você

                    Dm

Falamos o que não devia

           C            Am

Nunca ser dito por ninguém

                       Dm

ela me disse: - Eu não sei

                           Am

Mais o que eu  sinto por você

             Dm         C             Am

Vamos dar um tempo, um dia a gente se vê

                    Dm     C    Am

E eu dizia: Ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo


Quase Sem Querer

Dado Villa-Lobos - Renato Russo - Renato Rocha

Tom: G

Intr.: (G C D)

G        Am    C    D

 Tenho andado distraído,

G         Am   C   D

 Impaciente e indeciso,

    G              Am

 E ainda estou confuso

          C         D

 Só que agora é diferente:

G              Am

 Estou tão tranquilo

    C      D

 E tão contente

C        D          C  D G

 Quantas chances disperdicei

                 Em      Bm   Am

 Quando o que eu mais queria

 Era provar pra todo mundo

      D

 Que eu não precisava

 Provar nada pra ninguém

     G            Am

 Me fiz em  mil pedaços

 C            D

 Pra você juntar

       G          Am

 E queria sempre achar

        C               Am

 Explicação pro que sentia.

          G     Am

 Como um anjo caído

          C          D

 Fiz questão de esquecer

          G         Am

 Que mentir pra si mesmo

            C          D

 é sempre a pior mentira

C D    C   D   G

   Mas não sou mais

   Em    Bm Am             D

   Tão criança a ponto de saber tudo

    F

 Já não me preocupo

           G

 Se eu não sei porquê

    F                          G

 ás vezes o que eu vejo quase ninguém vê

      F

 E eu sei que você sabe

        G

 Quase sem querer

        F                   G

 Que eu vejo o mesmo que você

G       Am      C    D

 Tão correto e tão bonito:

       G          Am

 O infinito é realmente

        C           D

 Um dos deuses mais lindos.

 G                 Am

 Sei que às vezes uso

    C           D

 Palavras repetidas

     G             Am

 Mas quais são as palavras

      C        D

 Que nunca são ditas?

C       D    C   D G Em Bm      Am

 Me disseram que você estava chorando

                     D

 E foi então que percebi

 Como lhe quero tanto

    F

 Já não me preocupo

           G

 Se eu não sei porquê

    F                          G

 ás vezes o que eu vejo quase ninguém vê

      F

 E eu sei que você sabe

        G

 Quase sem querer

        F                   G

 Que eu vejo o mesmo que você


Tempo Perdido

Renato Russo

Tom: Em

Intr.: C Am Bm (Em D C Am7 B9+/7)

           C                  Am7

 Todos os dias quando acordo,

B7                 Em

 Não tenho mais o tempo que passou

            C            Am7

 Mas tenho  muito tempo:

       B9+/7           Em

 Temos todo o tempo do mundo

C              Am7

 Todos os dias antes de dormir,

 B9+/7                       Em

 Lembro e esqueço como foi o dia:

 C                 Am7

 "Sempre em frente,

    B9+/7             Em

 Não temos tempo a perder"

         C          Am7

 Nosso suor sagrado

            B9+/7                  Em

 é bem mais belo que esse sangue amargo

       C      Am7

 E tão sério

      B9+/7 Em

 E salva... gem

 C                  Am7           B9+/7

 Veja o sol dessa manhã tão cinza:

         Em                   C               Am7 B9+/7  Em

 A tempestade que chega é da cor dos teus olhos casta... nhos

            C         Am7   B7

 Então me abraça forte e me diz mais uma vez

          Em       C         Am7

 Que já estamos distantes de tudo:

 B9+/7               Em

 Temos nosso próprio tempo

     C         Am7       B9+/7      Em       C      Am7  B9+/7 Em

 Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas   ago,..  ra

        C                Am7

 O que foi escondido é o que se escondeu

         B9+/7              Em

 E o que foi prometido, ninguém prometeu

         C              Am7

 Nem foi tempo perdido;

           B9+/7 Em

 Somos tão jo... vens


Faroeste Caboclo

Tom:     D

Intr.: G  D

             G                       D

 - Não tinha medo o tal João de Santo Cristo

                   G                     D

 Era o que todos diziam quando ele se perdeu

           G                        D

 Deixou pra trás todo o marasmo da fazenda

                 G                             D

 Só pra sentir no sangue o  ódio que Jesus lhe deu

        G                            D

 Quando criança só pensava em ser bandido

                          G                       D

 Ainda mais, quando com um tiro de soldado o pai morreu

          G                      D

 Era o terror da cercania onde morava

                   G                      D

 E na escola até o professor com ele aprendeu

        G                        D

 Ia pra igreja só pra roubar o dinheiro

                     G                       D

 Que as velhinhas colocavam na caixinha do altar

        G                      D

 Sentia mesmo que era mesmo diferente

              G                         D

 E sentia que aquilo ali não era o seu lugar

       G                    D

 Ele queria sair para ver o mar

                G                D

 E as coisas que ele via na televisão

          G                   D

 Juntou dinheiro para poder viajar

              G                      D

 E de escolha própria, escolheu a solidão

       G                       D

 Comia todas as menininhas da cidade

                     G                       D

 De tanto brincar de médico, aos doze era professor

            G                      D

 Aos quinze foi mandado pro reformatório

                   G                        D

 Onde aumentou seu ódio diante de tanto terror

          G                     D

 Não entendia como a vida funcionava

                 G                         D

 Descriminação por causa da sua classe ou sua cor

          G                      D

 Ficou cansado de tentar achar resposta

                 G                         D

 E comprou uma passagem, foi direto a Salvador

         G                      D

 E lá chegando foi tomar um cafezinho

                    G                       D

 E encontrou um boiadeiro com quem foi falar

          G                 D                       G

 E o  boiadeiro tinha uma passagem e ia perder a viagem

                     D

 Mas João foi lhe salvar

       G                        D

 Dizia ele: - Estou indo pra Brasília

       G                       D

 Neste país lugar melhor não há

            G                     D

 Estou precisando visitar a minha filha

           G                      D

 Eu  fico aqui e você vai no meu lugar

   G                   D                    G                       D

 E João aceitou sua proposta e num onibus entrou no Planalto Central

        G                      D

 Ele ficou bestificado com a cidade

                 G                     D

 Saindo da rodoviária, viu as luzes de Natal

       G                    D

 - Meu Deus, mas que cidade linda

        G                     D

 No ano novo eu começo a trabalhar

          G                        D

 Cortar madeira, aprendiz de carpinteiro

                       G             D

 Ganhava três mil por mês em Taguatinga

          G                      D

 Na sexta-feira ia pra zona da cidade

                      G                      D

 Gastar todo o seu dinheiro de rapaz trabalhador

        G                     D

 E conhecia muita gente interessante

                G                D

 Até um neto bastardo de seu bisavo

       G                   D

 Um peruano que vivia na Bolívia

         G                   D

 E muitas coisas trazia de lá

     G                      D

 Seu nome era Pablo e ele dizia

          G                D

 Que um negócio ele ia começar

           G                       D

 E o Santo Cristo até a morte trabalhava

                    G                     D

 Mas o dinheiro não dava pra ele se alimentar

           G                D

 E ouvia às sete horaso noticiário

              G                           D

 Que sempre dizia que o seu ministro ia ajudar

           G                D

 Mas ele não queria mais promessa e decidiu que

       G                  D

 Como Pablo, ele ia se virar

       G                        D

 Elaborou mais uma vez seu plano santo

                   G                         D

 E, sem ser crucificado, a plantação foi começar

       G                    D                    G

 Logo, logo os malucos da cidade souberam da novidade

                   D

 - Tem bagulho bom aí!

   G                         D

 E João de Santo Cristo ficou rico

             G                   D

 E acabou com todos os traicantes dali

      G                        D

 Fez amigos, frequentava a Asa Norte

                  G                 D

 E ia pra festa de rock, pra se libertar

          G

 Mas de repente

              D                           G

 Sob uma má influência dos boyzinhos da cidade

             D

 Começou a roubar

    C                        G/B

 Já no primeiro roubo ele dançou

              Am7                   G

 E pro inferno ele foi pela primeira vez

    C                      G/B

 Violência e estupro do seu corpo

            Am7                  G

 - Vocês vão ver, eu vou pegar vocês

G                            D

 Agora o Santo Cristo era bandido

               G                  D

 Destemido e temido no Distriro Federal

     G                       D

 Não tinha nennhum medo de polícia

                G                    D

 Capitão ou traficante, playboy ou general

    G

 Foi quando conheceu uma menina

                                    D

 E de todos os pecados ele se arrependeu

       G                    D

 Maria Lúcia era uma menina linda

 E o coração dele

                             D

 Pra ela o Santo Cristo prometeu

      G

 Ele dizia que queria se casar

 E carpinteiro ele voltou a ser

 Maria Lúcia, eu pra sempre vou te amar

 E um filho com você eu quero

     C G/B G C G/B D

 Ter.

         G                   C

 O tempo passa e u dia vem na porta um senhor

         G                      D

 De alta classe com dinheiro na mão

       G                                      C            G

 E ele faz uma proposta indecorosa e diz que espera uma resposta

                 F

 Uma resposta de João

    G                          D                       G

 Não boto bomba em banca de jornal nem em colégio de criança

                 D

 Isso eu não faço não

          G                     D                         G

 E não protejo general de dez estrelas, que fica atrás da mesa

             D

 Com o  cú na mão

        G                         D

 E é melhor o senhor sair da minha casa

                     G                         D

 Nunca brinque com um Peixes de ascendente Escorpião.

          G                      D

 Mas antes de sair, com ódio no olhar, o velho disse:

        G                     D

 - Você perdeu a sua vida meu irmão

      G                      D             G                    D

 Você perdeu a sua vida meu irmão. Você perdeu a sua vida meu irmão

         G                      D

 Essas palavras vão entrar no coração

            G                            D

 E eu vou sofrer as consequências como um cão

     G                        D

 Não é que Santo Cristo estava certo

                   G                         D

 E seu futuro era incerto e ele não foi trabalhar

          G                    D                         G

 Se embebedou e no meio da bebedeira descobriu que tinha outro

                     D

 Trabalhando em seu lugar

           G                     D

 Falou com Pablo que queria um parceiro

                   G                   D

 E também tinha dinheiro e queria se armar

         G                     D                     G              D

 Pablo trazia contrabando da Bolívia e Snto Cristo revendia em Planaltina

         G                      Ab                    F

 Mas acontece que um tal de Jeremias, traficante de renome

             G

 Apareceu pro lá

                                  Ab

 Ficou sabendo dos planos de Santo Cristo

                   F               G

 E decidiu que, com João ele ia acabar

                                D/F#

 Mas Pablo trouxe uma Winchester-22

         Em

 E Santo Cristo já sabia atirar

       C                    G/B

 E decidiu usar a arma só depois

           Am7                D

 Que o Jeremias começasse a brigar

          G                      Am                  F

 (O Jeremias, maconheiro sem-vergonha, organizou a Rockonha

                     G

 E fez todo mundo dançar.)

                          Ab

 Desvirginava mocinhas inocentes

                F                       G

 E dizia que era crente mas não sabia rezar.

                                    D/F#

 E Santo Cristo há muito não ia pra casa

       Em

 E a saudade começou a apertar

               C                      G/B

 - Eu vou me embora, eu vou ver Maria Lúcia

            Am7                  D

 Já está em tempo e a gente se casar

    C                           G/B

 Chegando em casa entá;o ele chorou

                  Am7               G

 E pro inferno ele foi pela segunda vez

           C                   G/B

 Com Maria Lúcia Jeremias se casou

     Am7              D

 E um filho nela ele fez.

        G                     Ab                   F                        G

 Santo Cristo era só ódio por dentro e então o Jeremias pra um duelo ele chamou

                            Ab                       F                    G

 Amanhá às duas horas na Ceilƒndia, em frente ao lote 14, é pra lá que eu vou

                             Ab                  F                             G

 E você pode escolher as suas armas que eu acabo mesmo com você, seu porco traidor

                     Ab                   F                           G

 E mato também Maria Lúcia, aquela menina falsa pra quem jurei o meu amor

                                D/F#

 Santo Cristo não sabia o que fazer

       Em

 Quando viu o  repórter na televisão

             C                G/B

 Que deu a notícia do duelo na TV

           Am7                  D

 Dizendo a hora e o local e a razão.

     G                     Ab

 No sábado, então, às duas horas, todo o povo

       F                        G

 Sem demora, foi lá só pra assistir

                          Ab                        F

 Um homem que atirava pelas costas e acertou o Santo Cristo

               G

 E começou a sorrir

                        Ab

 Sentindo o sangue na garganta

                      F                       G

 João olhou pras bandeirinhas e pro povo a aplaudir

                              Ab

 E olhou pro sorveteiro e pras cƒmeras e

           F                    G

 A gente da TV que filmava tudo ali

                               D/F#         Em

 E se lembrou de quando era uma criança e de tudo o que vivera até ali

       C                        G/B

 E decidiu entrar de vez naquela dança

           Am7                         D

 - Se a via-crucis virou circo, estou aqui

   C                      G/B                Am7              G

 E nisso o sol cegou seus olhos e então Maria Lúcia ele reconheceu

       C                 G/B

 Ela trazia a Winchester-22

       Am7                     G

 A arma que seu primo Pablo lhe deu.

       G                        D

 - Jeremias, eu sou homem, coisa que você não é

        G                D

 E não atiro pelas costas não

         G                        D

 Olha pra cá filha da puta, sem-vergonha,

                     G

 Dá uma olhada no meu sangue

                      D

 E vem sentir o teu perdão

         G                       D

 E Santo Cristo com a Winchester-22

          G                     D

 Deu cinco tiros no bandido traidor

        G                    D

 Maria Lúcia se arrependeu depois

          G                       D

 E morreu junto com João, seu protetor.

     C                  G/B                     Am7                    G

 E o povo declarava que João de Santo Cristo era santo porque sabia morrer

    C                    G/B                      Am7                     G

 E a alta burguesia da cidade não acreditou na história que eles viram na TV

   C                           G/B                    Am7                G

 E João não conseguiu o que queria quando veio pra Brasília, com o diabo ter

        C                      G/B

 Ele queria era falar pro presidente,

                     Am7

 Pra ajudar toda essa gente

       D       C     Bb G

 Que só faz sofrer...


Há Tempos

Dado V. Lobos - R. Russo - Marcelo Bonfá

Intr.: ( D  Am7  D  G4  G )

D             Am7                D             Am7

Parece cocaína, mas é só tristeza, talvez tua cidade

           D                    Am7

Muitos temores nascem do cansaço e da solidão

D                 Am7

E o descompasso e o desperdício

     G                    Em

Herdeiros são agora da virtude que perdemos

D                  Am7             D              Am7

Há tempos tive um sonho, não me lembro, não me lembro

F                   C    F                   C

Tua tristeza é tão exata e hoje o dia é tão bonito

D                   Am7    D                       G4    G

Já estamos acostumados a nem termos mais nem isso

    D              Am7             D           Am7

Os sonhos vêm, os sonhos vão, o resto é imperfeito

     D               Am7                   D                Am7

Disseste que se tua voz tivesse força igual à imensa dor que sentes

      G                 Em                    D           Am7

Teu grito acordaria não só a tua casa, mas a vizinhança inteira

D             Am7            F                  C

E há tempos nem os santos têm ao certo a medida da maldade

      F                            C

E há tempos são os jovens que adoecem

      F                          C                           F

E há tempos o encanto está ausente, e há ferrugem nos sorrisos

                          C                               A

E só o acaso estende os braços a quem procura abrigo e proteção

        D              G

Meu amor, disciplina é liberdade

D             G        D              G4    G

Compaixão é fortaleza, ter bondade é ter coragem

       D                         G                  D

Lá em casa tem um poço, mas a água é muito limpa


Meninos e Meninas

Renato Russo

Tom: D

Intr.: (D G A)

 D                            G       A

 Quero me encontrar, mas não sei onde estou

       D                     G        F

 Vem comigo procurar algum lugar mais calmo

 C            D    C          D         Em         A

 Longe dessa confusão e dessa gente que não se respeita

       G         D       Bm     C       D

 Tenho quase certeza que eu não sou daqui

          A

 Acho que gosto de São Paulo

    C           D

 Gosto de São João

 A                         C        D

 Gosto de São Francisco e São Sebastião

      Em                   G    A

 E eu gosto de meninos e meninas

     D                            G            A

 Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre

       D                             G        F

 Vai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente

          C       D           C    D

 Estou cansado de bater e ninguém abrir

            Em      A      G    D

 Você me deixou sentindo tanto frio

 Bm           C     D

 Não sei mais o que dizer

A              C          D

 Te fiz comida, velei teu sono

A               C          D

 Fui teu amigo, te levei comigo

           Em                        G A

 E me diz: pra mim o que é que ficou?

 D                    G       A

 Me deixa ver como viver é bom

         D                           G        F

 Não é a vida como está, e sim as coisas como são

          C        D      C  D

 Você não quis tentar me ajudar

      Em A            G   D             Bm   C D

 Então, a culpa é de quem? A culpa é de quem?

    A                     C  D

 Eu canto em português errado

            A               C               D

 Acho que o imperfeito não participa do passado

            Em

 Troco as pessoas

               G  A

 Troco os pronomes

    D                    G           A

 Preciso de oxigênio, preciso ter amigos

    D                     G         F

 Preciso ter dinheiro, preciso de carinho

 C            D       C                D

 Acho que te amava, agora acho que te odeio

      Em           A         G   D       Bm C D

 São tudo pequenas coisas e tudo deve passar

          A

 Acho que gosto de São Paulo

    C           D

 Gosto de São João

 A                         C        D

 Gosto de São Francisco e São Sebastião

      Em                   G     A   Int.

 E eu gosto de meninos e meninas


Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto

Renato Russo

Tom: D

Intr.: D

           D    G  Em    A             G   D A

 Quando o sol bater na janela do teu quarto

          D G Em A         G          D A

 Lembra e vê       que o caminho é um só

G                                          A

 Porque esperar se podemos começar tudo de novo, agora mesmo?

        G

 A humanidade é desumana, mas ainda temos chance

A

 O sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer

           D    G  Em    A             G   D A

 Quando o sol bater na janela do teu quarto

          D G Em A                    D

 Lembra e vê       que o caminho é um só

Em                     A                       Em

 Até bem pouco tempo atrás poderiamos mudar o mundo

         A

 Quem roubou nossa coragem?

 Bm     C  E       D  A          Em         A

 Tudo é dor e toda dor vem do desejo de não sentirmos dor

           D    G  Em    A             G   D A

 Quando o sol bater na janela do teu quarto

          D G Em A         G          D

 Lembra e vê       que o caminho é um só


Pais e Filhos

Renato Russo

Tom: G

Intr.: (C D G)

    C          D

 Estátuas e cofres

      G

 E paredes pintadas

         C          D     G

 Ninguém sabe o que acoteceu

C         D        G                   C

 Ela se jogou da janela do quinto andar

              D       G

 Nada é fácil de entender

F       C/E C D Am

 Dorme agora

                 D

 É só o vento lá fora

C      D

 Quero colo

G

 Vou fugir de casa

 C        D        G

 Posso dormir aqui com vocês?

C          D

 Estou com medo

 G

 Tive um pesadelo

C          D     G

 Só vou voltar depois das três

F      C/E        C        Bm   Am

 Meu filho vai ter nome de santo

                     D

 Quero o nome mais bonito

      G         C               Em                C

 É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã

            G   C

 Porque se você parar pra pensar

Em              C

 Na verdade não há

     D  G             C      D   G

 Me diz: porque que o céu é azul?

                      C        D   G

 Me explica a grande fúria do mundo

          C           D    G           C D G

 São meus filhos que tomam conta de mim

               C        D              G             C D G

 Eu moro com a minha mãe mas o meu pai vem me visitar

            C       D         G

 Eu moro na rua não tenho ninguém

    C           D         G

 Eu moro em qualquer lugar

    C              D               G          C

 Já morei em tanta casa que nem me lembro mais

         D        F   C/E C Bm Am D

 Eu moro com meus pais

       G        C               Em               C

 É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã

           G   C

 Porque se você parar pra pensar

Em               C

 Na verdade não há

 G                  C Em               C

 Sou uma gota d'água, sou um grão de areia

      G                       C

 Você diz que seus pais não entendem

     Em                     C

 Mas você não entende seus pais

                D          G   C          D   G

 Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo

        C      D    G

 São crian‡as como você

        C          D        G

 O que você vai ser quando você crescer?


La Solitudine

P.Cremonesi - A.Vaisiglio - F.Vavalli

Intr.: ( D  Bm  G7M  G/A )

D

Marco se ne è andato e non ritorna piú

    Bm

E il treno delle 7:30 senza lui

     G7M

È un cuore di metallo senza l'anima

   G/A

Nel freddo del mattino grigio di città

   D

A scuola il banco à vuoto, marco è dentro me

  Bm

È dolce il suo respiro fra i pensieri miei

  G7M

Distanze enormi sembrano dividerci

    G/A

Ma il cuore batte forte dentro me

        D       A/C#       Bm         Bm/A

Chissà se tu mi penserai, se con i tuoi non parli mai

       G         D/F#

Se ti nascondi come me

         Em         G/A

Sfuggi gli sguardi e te ne stai

          D          A/C#

Rinchiuso in camera e non vuoi mangiare

 Bm        Bm/A

Stringi forte a te il cuscino

G7M        D/F#            Em     G/A

Piangi e non lo sai quanto altro male ti farà

      D        (intr.)

La solitudine

D

Marco nel mio diario ho una fotografia

     Bm

Hai gli occhi di bambino un poco timido

    G

La stringo forte al cuore e sento che ci sei

    G/A

Fra i compiti d'inglese e matematica

    D

Tuo padre e i suoi consigli che monotonia

   Bm

Lui con il suo lavoro ti ha portato via

  G

Di certo il tuo parere non l'ha chiesto mai

   G/A

Ha detto "un giorno tu mi capirai"

        D       A/C#         Bm      Bm/A

Chissà se tu mi penserai, se con gli amici parlerai

         G        D/F#        Em     G/A

Per non soffrire più per me, ma non è facile lo sai

        D        A/C#       Bm      Bm/A

A scuola non ne posso più, e i pomeriggi senza te

         G      D/F#        Em      A7

Studiare è inutile tutte le idee, si affollano su te

       G    D/F#     Em       D/F#

Non è possibile dividere la vita di noi due

         G      D/F#         Em        A

Ti prego aspettami amore mio, ma illuderti non so !

      D      A/C#       Bm         Bm/A

La solitudine fra noi, questo silenzio dentro me

       G      D/F#    Em       A

È l'inquietudine di vivere la vita senza te

         D        A/C#

Ti prego aspettami perché

         Bm       Bm/A

Non posso stare senza te

        G    D/F#      Em        A

Non è possibile dividere la storia di noi due

      D      A/C#       Bm        Bm/A

La solitudine fra noi, questo silenzio dentro me

       G     D/F#     Em       A

È l'inquietudine di vivere la vita senza te

         D        A/C#

Ti prego aspettami perché

         Bm       Bm/A

Non posso stare senza te

        G    D/F#      Em        A

Non è possibile dividere la storia di noi due

      G       Bm   Em   G/A   D   (G  D)

La solitudine


Strani Amori

A. Valsiglio - R. Buti - Cheope - M. Marati

Intr.:  C  F+7   G4/7 G7   C  Am7   Dm7   G4/7    G7

      C 

Mi dispiace devo andare via

      F7+

Ma sapevo che era una bugia

      G4/7                          G7

Quanto tempo perso dietro a lui

       C

Che promete poi non cambia mai

        F7+         G4/7    Am7

Strani amori mettono nei guai

          Dm7       G/B

Ma in realtà siamo noi

       C

E lo aspetti ad un telefono

       F7+

Litigando che sia libero

        G4/7

Con il cuore nello stomaco

        C

Un gomitto lo nell'angolo

          F7+                 G4/7  Am7

Lì da sola dentro un brivido

        Dm7                  G/B

Ma perché lui non c'è, e sono

C                           Dm7 

Strani amori che   fanno crescere

 G/B                   C               F7+ 

E sorridere tra le lacrime

                    G4/7         Am7     

Quante pagine, lì da scrivere

Dm7          G/B

Sogni da lividi da dividere

C                       

Sono amori che spesso a quest'età

E/G#               Am              Am/G

Si confondono dentro a quest'anima

F7+        G4/7        Em7               Am7

Che s'interroga senza decidere

Dm7                                G/B

Se è un amore che fa per noi

                    D

E quante notti perse a piangere

              G7+

Rileggendo quelle lettere

              A4/7   A7

Che non riesci più a buttare via

                D

Dal labirinto della nostalgia

                  G7+         A4/7  Bm7

Grandi amori che finiscono

Em7                    A4/7   A7        D

Ma perché restano, nel cuore

                             Em7

Strani amori che vanno e vengono

A4/7   A7

Nei pensieri che li nascondono

G7+     A4/7      Bm7     

Storie vere che ci appartengono

Em7                           A4/7

Ma si lasciano come noi

E            F#m/E

Strani amori fragili,

B4/7                   E

Prigioneri liberi

              A7+          B4/7     Cm#7

Strani amori mettono nei guai

             Fm#7             B4/7

Ma in realtà siamo noi

E                      D#°

Strani amori fragili

G#/C   Cm#7   C##m7/B 

Prigioneri liberi

A7+       B4/7 G#m7  C#m7

Strani amori che non sanno vivere

F#m7                         B4/7

E si perdono dentro noi

           E                     

Mi dispiace devo andare via 

              A7+

Questa volta lo promesso a me

              B4/7    B7

Perché ho voglia di un amore vero

C#m7  C#m7/B      A7+  B4/7 B7

Senza te


Me Chama

Lobão

Intr.: D  D7M  D7  G7M  Bm  A  G7M

D        D7M      D7           G7M

Chove lá fora e aqui, faz tanto frio

Bm        A         G7M

Me dá vontade de saber

Aonde está você

Me telefona

Me chama, me chama, me chama

                Bm

Nem sempre se vê

       A        Bm   A             Bm

Lágrimas no escuro, lágrimas no escuro

A            G7M

Lágrimas, cadê você

Tá tudo cinza sem você

Tá tão vazio

E a noite fica assim porque

Aonde está você, me telefona

Me chama, me chama, me chama

Nem sempre se vê

Mágicas no absurdo, mágicas no absurdo

Mágicas, cadê você


Corações Psicodélicos

Lobão - Bernardo Vilhena - Júlio

Intr.: D7M  D5+  C#m7  F#7  Bm7  D/E  (A7M  D/E)

Bm7             D/E          A7M        D7M

Ainda me lembro daquele beijo spank punk violento

A7M         D7M         A7M        D7M         F#7M

Iluminando o céu cinzento, eu quero você inteira

Bm7         D/E         A7M           D7M

Gosto muito do seu jeito, qualquer nota bossa nova

A7M         D7M          A7M       D7M        F#7M

Bossa nova qualquer nota, eu quero você na veia

Bm7           D/E

E a vida passa na TV

C#m7           F#7

E o meu caso é com você                     1

Bm7       D/E            C#m7   C7/9

Fico louco sem saber

Bm7        D/E

Sim pro sol, sim prá lua

C#m7         F#7

Eu quero você toda nua

Bm7          D/E         A7M

Sim prá tudo que você quiser

Bm7         D/E         A7M         D7M

Gosto muito do seu jeito, rock'n roll meio nonsense

A7M          D7M        A7M               D7M

Rock'n roll meio nonsense, prá acabar com essa inocência

A7M          D7M       A7M  D7M     F#7M

E o complexo de decência no meio do salão

REPETIR 1

Bm7         D/E        A7M         D7M

Hoje é festa na floresta, toda tribo ateia som

A7M         D7M   A7M         D7M

Toda taba ateia sol só tomando água de coco

A7M       D7M         A7M  D7M      F#7M

Infeliz de quem tá triste no meio dessa confusão


Tudo Azul

Lulu Santos - Nelson Motta

Intr.: G  Dm  F  G  C

G         Em

Tudo azul, todo mundo nu

F         D7

No Brasil, sol de norte a sul

G          Em

Tudo bem, tudo zen, meu bem

F         D7

Tudo sem força e direção

F                  Am

Nós somos muitos, não somos fracos

D7                      G#    G

Somos sozinhos nesta multidão

            Em          Am

Nós somos só um coração

     Dm        Fm6         C

Sangrando pelo sonho de viver

          Bb    F       C

Eu nunca fui o rei do baião

          Bb      F         G

Não sei fazer chover no sertão

         Am          Em

Sou flagelado da paixão

     F          Em

Retirante do amor

           F     G      C

Desempregado do coração


Tudo Bem

Lulu Santos

              D7M           G7M

Já não tenho dedos prá contar

               D7M             G7M

De quantos barrancos despenquei

           D7M           Bm7              F#7/5+

E quantas pedras me atiraram, ou quantas atirei

       Bm7            F#7

Tanta farpa, tanta mentira

       Bm7          E4/7     E7

Tanta falta do que dizer

     Em7    F#m7   G7M  F/A   G7M   C7M    F7M

Nem sempre é "so easy" se   viver

Hoje eu não consigo mais me lembrar

De quantas janelas me atirei

E quanto rastro de incompreensão eu já deixei

Tantos bons quantos maus motivos

Tantas vezes desilusão

                            C/D

Quase nunca a vida é um balão

       G7M          G/A

Mas o teu amor me cura

F#7        Bm7       E4/7     E7

De uma loucura qualquer

         G7

É encostar no teu peito

     Bb°              G/A                  D7M

E se isso for algum defeito, por mim, tudo bem


Tão Bem

Lulu Santos

C                     Em

Ela me encontrou, eu 'tava por aí

         F                   Bb    B    C

Num estado emocional tão ruim

       Em            F   Bb   B   C

Me sentindo muito mal

Perdido, sozinho

Errando de bar em bar

                     F   A    G

Procurando não achar

F                G

Ela demonstrou tanto prazer

       C           Em    F  Em

De estar em minha companhia

F               G

Eu experimentei uma sensação

       C           Em   F Em

Que até então não conhecia

          Dm

De se querer bem

      Em   F           G4

De se querer quem se tem

          F       C          Em       F

E ela me faz tão bem, ela me faz tão bem

Dm              Em      C       Em  G    Ab    Bb    C

Que eu também quero fazer isso por ela


Casa

Lulu Santos

Intr.: C   Bb/C   A/C   Bb/C

    Bb9         F/A         F               G4/7

Primeiro era vertigem como em qualquer paixão

                                               Bb/C   A/C   Bb/C   C

Era só fechar os olhos e deixar o corpo ir no ritmo

Depois era um vício, uma intoxicação

Me corroendo as veias, me arrasando pelo chão

             F/A           G/B      C4          G/B

Mas sempre tinha a cama pronta e rango no fogão

F/A   G/B         C4         G/B          Bb     F

Luz  acesa, me espera no portão prá você ver

Dm7                    G7       Bb    F

Que eu tô voltando prá casa, me vê

Dm7                    G           Bb/C   A/C   Bb/C   C

Que eu tô voltando prá casa outra vez

Às vezes é tormenta, fosse uma navegação

Pode ser que o barco vire, também pode ser que não

Já dei meia-volta ao mundo levitando de tesão

Tanto gozo e sussurro já impresso no colchão

Pois sempre tem...

Primeiro era vertigem como em qualquer paixão

Logo mais era um vício me arrasando pelo chão

Pode ser que o barco vire, também pode ser que não

Já dei meia-volta ao mundo levitando de tesão

Pois sempre tem...

   G    D   C  G  Em7                    A

 ... casa,       que eu tô voltando prá casa

C  Bb  F  Dm7                     G          Ab   Bb/C   A/C   Bb/C   C

        que eu tô voltando prá casa outra vez


Certas Coisas

Lulu Santos - Nelson Motta

Intr.: ( G7/9  C4/G  C/G  G5+/9  G )

Não existiria som

Se não houvesse o silêncio

Não haveria luz

                       G    D/F#    Em7

Se não fosse a escuridão

                   A9       Am9          Em7    D     (Introdução)

A vida é mesmo assim, dia e noite, não e sim

Cada voz que canta o amor

Não diz tudo que quer dizer

Tudo que cala fala mais

Alto ao coração

Silenciosamente, eu te falo com paixão

G            A/G

Eu te amo calado

            B4/7       B7   Em   Em   Dm   C   G/B

Como quem ouve uma sinfonia

C     D     C  D  Em   Em7M   Em7    Em6

De silêncio e de luz

C                    F#m7   B7     Em                 C

Nós somos medo e desejo, somos feitos de silêncio e som

A9         F#m4/7              B7    G7/9

Tem certas coisas que eu não sei dizer

INTRODUÇÃO

A vida é mesmo assim, dia e noite, não e sim


De Repente Califórnia

Lulu Santos - Nelson Motta

Eaug                     A

  Garota eu vou pra Califórnia

                      Eb° 

Viver a vida sobre as ondas

                     Dm

Vou ser artista de cinema

F           E           D     A   E7

  O meu destino é ser star

                      A

O vento beija meus cabelos

                      Eb°

As ondas lamem minhas pernas

                    Dm

O sol abraça o meu corpo

F          E           D   A   

  Meu coração canta feliz

                       D

Eu dou a volta, pulo o muro

              Dm

Mergulho no escuro

          A

Sarto de banda

                     B

Na Califórnia é diferente irmão

   A                    E7   Eaug

É muito mais do que um sonho

                   A

A vida passa lentamente

                         Eb°                    

Que a gente vai tão de repente

                        Dm

Tão de repente que não sente

F          E             D   A  E7

  saudades do que já passou

....solo..(A  Eb°  D   F  E   D  A)

                        D

Eu dou a volta, pulo o muro

              Dm

Mergulho no escuro

          A

Sarto de banda

                       B

Na minha vida ninguém manda não

    A              E7    Eaug

Eu vou além desse sonho

                       A

Garota eu vou pra Califórnia

                      Eb°

Viver a vida sobre as ondas

                     Dm

Vou ser artista de cinema

F           E           D

  O meu destino é ser star

 Dm     A

Ieeeeeeeeeee

D  Dm  A

D  Dm  A


Um Certo Alguém

Lulu Santos - Ronaldo Bastos

Intro : (A Asus4 A Asus4 A)

A          C#7     F#m         F#m7M F#m7 G  Bm

  Quis evitar teus olhos mas não pude reagir

G           Esus4   E  Esus4  E

  Fico à vontade então

A         C#7  F#m      F#m7M F#M7  G   Bm

  Acho que é bobagem a mania de fingir

G           Esus4  E  Esus4  E

  Negando a intenção

Bm                C#m Dm

  Quando um certo alguém

    A          F#m 

cruzou o teu caminho

        C#m      Esus4 E  Esus4  E

E te mudou a direção

A           C#7      F#m

  Chego a ficar sem jeito

        F#m7M F#m7   G  Bm

mas não deixo de seguir

G        Esus4 E Esus4 E 

  a tua aparição

Bm                C#m  Dm

  Quando um certo alguém

    A           F#m

desperta o sentimento

     C#m        Esus4 E Esus4 E

É melhor não resistir

           A       

e se entregar

        F#m      C#m7         Esus4  E

Me dê a mão, vem ser a minha estrela

A         F#m      C#m7         Esus4  E

  Complicação, tão fácil de entender

A          F#m    C#m7     Esus4 E 

  Vamos dançar, luzir a madrugada

A        F#m      C#m7         Esus4  E

  Inspiração, pra tudo que eu viver

solo

Bm                C#m Dm

  Quando um certo alguém

    A          F#m

Cruzou o teu caminho

      C#m       Esus4 E

É melhor não resistir

           A 

e se entregar

        F#m      C#m7         Esus4  E

Me dê a mão, vem ser a minha estrela

A         F#m      C#m7         Esus4  E

  Complicação, tão fácil de entender

A          F#m    C#m7     Esus4 E 

  Vamos dançar, luzir a madrugada

A        F#m      C#m7         Esus4 E Esus4 E

  Inspiração, pra tudo que eu viver

       F#sus4 F# F#sus4 F#

Que eu viver

oh, oh

Bm                 C#m Dm

  Quando um certo alguém

    A            F#m

Desperta o sentimento

     C#m         Esus4 E Esus4 E

É melhor não resistir

           A  C#7  A  C#7   A   C#7  F#m

E se entregaaaar


Minha Vida

Lulu Santos

        A7M                  F#m

Quando eu era pequeno eu achava a vida chata

       E4/7       E7

Como não devia ser

      Bm         G6       Bm          G6

Os garotos da escola só a fim de jogar bola

        Bm      E7              D     D/E

E eu queria ir tocar guitarra na TV

Aí veio a adolescência e pintou a diferença

Foi difícil de esquecer

A garota mais bonita também era a mais rica

Me fazia de escravo do seu bel prazer

Quando eu saí de casa minha mãe me disse:

Baby, você vai se arrepender

Pois o mundo lá fora num segundo te devora

                                    D

Dito e feito, mas eu não dei o braço a torcer

D              E/D    D7M            E/D

Hoje eu vendo sonhos, ilusões de romance

  C#m         F#7/9-     Bm  C#m     Dm6

E toco a minha vida por um troco qualquer

        A7M                          C#m         F#7

É o que chamam de destino, e eu não vou lutar por isso

     Bm     C#m   Dm6  A7M

Que seja assim enquanto é

. . .

    Bm     C#m   Dm6

Que seja assim enquanto          (2x)

    Bm     C#m   Dm6   A7M

Que seja assim enquanto é


Areias Escaldantes

Lulu Santos - Nelson Motta

Intr.: ( G  D )  ( G  Em  G ) ou ( G  D )   ( G  Em  G )

G               C          G

A caravana cruzando o deserto

                      C     Bm   Em   G

Brilhando ao sol do Oriente Médio

        C          D              G     Em   G   Em

Pelas areias escaldantes desse branco mar

    C         D            Em      D          C

Escuros beduínos são guerreiros mouros de sangue e paixão

Em          D         C                    D7     (Introdução)

Medo e mistério das trilhas no oásis do amor

G                 C           G

A noite cai no deserto e nas tendas

                 C       Bm   Em   G

A luz do fogo ilumina os corpos

          C          D             G      Em   G    Em

De belas nuas dançarinas, são vulcões de mel

    C            D         G      D          C      Em

Perfume de aventura inundando o ar de emoção e calor

         D         C                    D7

Luxo e luxúria nas noites do oásis do amor

G      C         D7          G     Em   G   Em

A caravana do delírio se perdeu de mim

    C          D           Em   D       C

Sozinho no deserto me senti feliz e cantei para o céu

    Em       D         C             D7

Em plena miragem da luz no meio do dia


Tempos Modernos

Lulu Santos

Intr.: ( C/G  G )   D  Am

          C        G       D7    D6    Am

Eu vejo a vida melhor no futuro

        C        G           D7

Eu vejo isso por cima de um muro

      C   Am/E    Am            F7M      F/G

De hipocrisia     que insiste em nos rodear

Am        C         G      D7    D6

Eu vejo a vida mais clara e farta

Am       C        G      D7

Repleta de toda satisfação

        C     Am            F7M        C/G    (Introdução)

Que se tem direito do firmamento ao chão

Eu quero crer no amor numa boa

Que isso valha prá qualquer pessoa

Que realiza a força que tem uma paixão

Eu vejo um novo começo de era

De gente fina elegante e sincera

                              F7M        (C/G   C)

Com habilidade prá dizer mais sim do que não, não, não

              F4      F  F4       F     Am    Am9

Hoje o tempo voa, amor, escorre pelas mãos

Am          Am9    C/G    C

Mesmo sem se sentir

        C/G      G      F4      F

Que não há tempo que volte, amor

F4            F       Am       Am9

Vamos viver tudo que há prá viver

Am         Am9    C/G   (Introdução)    (C/G   G)   (F4   F)    (Am   Am9)

Vamos nos permitir


A Cura

Lulu Santos

Intr.: ( D  G  A7  G )

D     Bb   Bm            Em

Existirá,  em todo porto tremulará  (se hasteará)

D           Bm     F#m    A7

A velha bandeira da vida

D      Bb    Bm       Em

Acenderá   todo farol iluminará

D           A7       D   G   D   G

Uma ponta de esperança

E se virá, será quando menos se esperar

Da onde ninguém imagina

Demolirá, toda certeza vã, não sobrará

Pedra sobre pedra

Em        Bm            D         A7

Enquanto isso não nos custa insistir

        Em        Bm          D           A

Na questão do desejo, não deixar se extinguir

C     G         A       Bm

Desafiando de vez a noção

E7                     A7

Na qual se crê que o inferno é aqui

D     Bb

Existirá

Bm            Em

E toda raça então experimentará

D             A     G

Para todo o mal, a cura


O Último Romântico

Lulu Santos - A. Cícero - S. Sousa

Intr.: E  Am  E  Am  E  G#m  C#m  C/G  Am

    E          G#m         C#m     G#m

Faltava abandonar a velha escola

    E          D#m5-/7   G#7  C#m   D/E   E7

Tomar o mundo feito    coca-cola

   F#m         C#7             F#m         C#7

Fazer da minha vida sempre o meu passeio público

     F#m            D7M        D#m5-/7       G#7     E   Am   E   Am

E ao mesmo tempo fazer dela o meu caminho só, único

    E          G#m       C#m  G#m

Talvez eu seja o último romântico

     E         D#m5-/7   G#7    C#m   D/E   E7

Dos litorais desse Oceano    Atlântico

   F#m      C#7       F#m           C#7

Só falta reunir a zona norte à zona sul

F#m       D7M         D#m5-/7         G#7

Iluminar a vida já que a morte cai do azul

   C#m       C#m7M     C#m7        F#7

Só falta de querer, te ganhar e te perder

F#m7                      D#m5-/7               G#7

Falta eu acordar, se gente grande prá poder chorar

          F#m   E  B7            E  G#m   A

Me dá um beijo então, aperta a minha   mão

F#m   G#7     C#m            C#7

Tolice é viver a vida assim sem aventura

F#m    B7      E  G#7  A

Deixa ser pelo co...ra...ção

       F#m   E   B7            C/G      Am  C7M  C  D  D#°   E

Se é loucura então melhor não ter razão


Como Uma Onda

Lulu Santos

Intr.: (Ab   Ab G Gb E)

Ab

Nada do que foi será

           Cm                    Ab

De novo do jeito que já foi um dia

     Ab/C                  Bbm7   Eb7

Tudo passa, tudo sempre passará

  Bbm7        Eb7         Bbm7 A7/5

A vida vem em ondas como o mar

B7/9       B7/5+    Db/Eb   D/E  E/F#

Num indo e vindo infinito

Ab

Tudo que se vê não é

               Cm               Ab

Igual ao que a gente viu a um segundo

    Ab/C                Db  Dm/F Faug

Tudo muda o tempo todo no mundo

E/D

  Não adianta fingir

       Ab          Gb7 F7  Bbm7  Cm7  Dbm7

Nem mentir, pra si mesmo agora

                 Cm7

Há tanta vida lá fora

       Gb7 F7 Bbm7

E aqui dentro sempre

E          Gb      Ab

  Como uma onda no mar

E          Gb      Ab

  Como uma onda no mar

E          Gb      Ab

  Como uma onda no mar


Bem Que Se Quis

Pino Daniele - Vrs. Nelson Motta

            G7M

Bem que se quis

         C/D             G7M

Depois de tudo ainda ser feliz

           C/D               Em7

Mas já não há caminhos prá voltar

             Dm7       G7    C7M

E o que que a vida fez da nossa vida

            Bm7      E7        Am7

O que que a gente não faz por amor

           G7M

Mas tanto faz

           C/D                  G7M

Já me esqueci de te esquecer porque

        C/D                 Em7

O teu desejo é meu melhor prazer

           Dm7          G7      C7M

E o meu destino é querer sempre mais

           Bm7        E7      Am7    G#7M

A minha estrada corre pro teu mar

      G7M           Dm7

Agora vem prá perto, vem

        G7            C7M   Bm7

Vem depressa, vem sem fim,  dentro de mim

Am7           G#7M             G7M           Dm7

Que eu quero sentir o teu corpo pesando sobre o meu

           G7

Vem meu amor, vem prá mim

     C7M       Bm7    Am7      G#7M     G7M

Me abraça devagar, me beija e me faz esquecer


Cavaleiros do Céu

Wagner Tiso - Stan Jones

   Em                      G

Vaqueiro do Arizona, desordeiro e beberrão

   Em                     G#m

Corria em seu cavalo pela noite no sertão

   Em                       A7            Em

No céu, porém, a noite ficou rubra num clarão

   C              C#m          Em

E viu passar num fogaréu um rebanho no céu

       G A      Em     C   Am7*   Em7

Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu

A rubras ferraduras punham brasas pelo ar

E os touros como fogo galopavam sem cessar

E atrás vinham vaqueiros como loucos a gritar

Vermelhos a queimar também, galopando pro além

Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, seguindo para o além

Centelhas nos seus olhos e o suor a escorrer

Sentindo o desespero da boiada se perder

Chorando a maldição de condenados a viver

A perseguir, correndo ao léu, um rebanho no céu

Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu

Um dos vaqueiros, ao passar, gritou dizendo assim:

"Cuidado, companheiro, ou tu virás prá onde eu vim

Se não mudas de vida tu terás o mesmo fim

Querer pegar no fogaréu um rebanho no céu"

                                C#m    Em

Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu               (2x)

     C    Am7  Em7

Correndo pelo céu


Bailes da Vida

M. Nascimento - F. Brant

Intr.: D  D4  D

D                                    D7M

Foi nos bailes da vida, ou num bar em troca de pão

Am7                                C

Que muita gente boa pôs o pé na profissão

C7M                         Em7

De tocar um instrumento e de cantar

A4/7                  A7                 D

Não importando se quem pagou quis ouvir, foi assim

D                                D7M

Cantar era buscar o caminho que vai dar no sol

D6                                    Am7

Tenho comigo as lembranças do que eu era

C                           Em7

Para cantar nada era longe, tudo tão bom

A4/7             A7           D                    D    D4    D

'Té a estrada de terra na boléia de caminhão, era sim

D                                   D7M

Com a roupa encharcada e a alma repleta de chão

Am7                             C

Todo artista tem de ir aonde o povo está

Em7          A4/7       A7

Se foi assim, assim será

Em7             A4/7              A7         D             D4    D

Cantando me disfarço e não me canso de viver nem de cantar

FINAL: F  F7M  F6  Cm7  Eb7M   Gm   C4/7  C7

       D  D7M  D6  Am7  C7M    Em7  A4/7  A7


Maria, Maria

M. Nascimento - F. Brant

   D              D7M         F       G

Maria, Maria é um dom, uma certa magia

     Eb/D       D

Uma força que nos alerta

Bm                 G             C

Uma mulher que merece viver e amar

       E          Bb         D

Como outra qualquer do planeta

Maria, Maria é o som, é a cor, é o suor

É a dose mais forte e lenta

De uma gente que ri quando deve chorar

E não vive, apenas agüenta

D    F    G    Eb/D    D

Mas é preciso ter força, é preciso ter raça

É preciso ter gana sempre

Quem traz no corpo a marca

Maria, Maria, mistura a dor e a alegria

Mas é preciso ter manha, é preciso ter graça

É preciso ter sonho sempre

Quem traz na pele esta marca

Possui a estranha mania de ter fé na vida

Dm7    Bm7    Gm    Am    Dm7    A5+/7                 (2x)

FINAL: D   D7M   G   Eb/D   D,   Bm   G   C   E   Bb   D    (2x)


Travessia

M. Nascimento - F. Brant

Intr.: ( A7M  Bm/A )

A7M               D#m7  E/D         A7M      Bm/A   A7M

Quando você foi embora       fez-se noite em meu viver

                  E/G#    F#m7    Bm7     G/A    A7     D7M

Forte eu sou mas não tem jeito,   hoje eu tenho que chorar

           G7M   G#m5-/7  C#m7    F#m7    F#m/E     D#m7    E/D

Minha casa não é minha,    e nem é meu    este    lugar

      A7M   Bm/A    A7M    F#m7     Bm7    E7/9   A7M

Estou só e   não  resisto,     muito tenho prá   falar

        A7M       G/A   F#m7                  C#m7

Solto a voz nas estradas,    já não quero parar

       D7M        E/D   F#m7         Bm7       E7/9

Meu caminho é de pedras,     como posso sonhar

       A7M     G/A    F#m7                C#m7

Sonho feito de brisa,      vento vem terminar

      D7M         D/E   Bm7         E7/9        A7M

Vou fechar o meu pranto,     vou querer me matar

Introdução

A7M              D#m7   E/D          A7M    Bm/A   A7M

Vou seguindo pela vida        me esquecendo de você

        E/G#         F#m7   Bm7         G/A    A7   D7M

Eu não quero mais a morte,       tenho muito que viver

             G7M  G#m5-/7  C#m7        F#m7       F#m/E      D#m7    E/D

Vou querer amar de novo        e  se não der   não vou     sofrer

       A7M    Bm/A  A7M    F#m7           Bm7    E7/9     A7M

Já não sonho, hoje   faço       com meu braço o meu   viver


Caçador de Mim

Sérgio Magrão - Sá

Intr.: C  C4  C  C4

C                   C7M

Por tanto amor, por tanta emoção,

  F/G           Am     Am/G

A vida me fez assim

F7M            C/E              F/G            C    C4    C    C4

Doce ou atroz, manso ou feroz, eu caçador de mim

Preso a canções, entregue a paixões

Que nunca tiveram fim

                                                      C   C4   C   E/G#

Vou me encontrar longe do meu lugar, eu, caçador de mim

Am              Em/G            F7M

Nada a temer senão o correr da luta

Dm7            G4/7             C      E/G#

Nada a fazer senão esquecer o medo

Am            Em/G           F#m5-/7    F7M

Abrir o peito à força numa procura

Dm7          F/G                C   C4   C   C4

Fugir às armadilhas da mata escura

Longe se vai sonhando demais

Mas onde se chega assim

Vou descobrir o que me faz sentir, eu, caçador de mim


Canção da América

M. Nascimento - F. Brant

Intr.: D  D  D  D,        D D9 D D C C C,

       Cm Cm Cm Cm G G G, C C D D D G D

C/E               D7             G      Em7   D/F#

Amigo é coisa prá se guardar debaixo de sete chaves

C/E        D7    G  Am7                D   D/C      D/A     D/F#   G   Am7   G

Dentro do coração, assim falava a canção que na América ouvi

              Em7             A7                 C/E   D   D4   D

Mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir

             D  D/C  D/A           C/E     D7           G          C/E         D   D4   D

Mas quem ficou          no pensamento voou com seu canto que o outro lembrou

          D  D/C  D/A           C/E    D7             G          C/E        D7

E quem voou         no pensamento ficou com a lembrança que o outro cantou

C/E               D7             G       Em7       D/F#

Amigo é coisa prá se guardar no lado esquerdo do peito

Am7                        D7             C   G/B   Am7

Mesmo que o tempo e a distância digam não

D         D/C  D/A  D/F#   G   Am7   G

Mesmo esquecendo a canção

          Em7        A7                      C/E   D   D4   D

E o que importa é ouvir a voz que vem do coração

     C/E         D7  C/E           D7

Pois seja o que vier,  venha o que vier

G               C/E     D/F#  C/E          G

Qualquer dia, amigo, eu volto  a te encontrar

Em7                   A7                 C/E    D

Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar


Solar

M. Nascimento - F. Brant

Intr.: C  C7M  F/C  F/G

C                     C7M

Venho do sol, a vida inteira no sol

     C6               C         C/D  D7

Sou filho da terra do sol, hoje escuro

          F            G         E7    Am

O meu futuro é luz e calor de um novo mundo eu sou

            Em/G           D/F#  Dm/F

E um mundo novo será mais claro

Dm7    E5+/7    E7      Am     D/F#      Dm/F      C/E

Mas é no velho   que procuro o jeito mais sábio de usar

   F        Bb        C        F        Bb    G7    C

A força que o sol me dá, canto o que eu quero viver

                 C/E

É o sol, somos crianças ao sol

        C/G                              C/D    D7

A aprender, a viver e a sonhar, e o sonho é belo

                   G     F/A      G/B   C  F/C   C

Pois tudo ainda faremos, nada está no lugar

F/A     G/B         C   F/C  C   F/A    G/B    G7   C   G   Am   C/D   D/E

Tudo está por pensar,          tudo está por criar

Am7                                      D/E

Saí de casa para ver outro mundo, conheci

G/A                 D7M       D4

Fiz mil amigos nas cidades de lá

          D7/9       D7             Dm7          G5+/7    F/G

Amigo, é o melhor lugar mas me lembrei do nosso inverno azul

            C                     C/E

Eu quero é viver o sol, é triste não termos sol

         C/G               F6/11+    E7  Am7M  Am7

É triste não ter o azul todo dia      a nos    alegrar

            C/D   D7        F/G   G7      B   C

Nossa energia solar irá nos iluminar o caminho


Cio da Terra

M. Nascimento - Chico Buarque

Am           G

Debulhar o trigo

      C   F  C  F  C  C  F

Recolher cada  bago  do  trigo

F      C   F       C  F   C                   G7M

Forjar no trigo o milagre do pão e se fartar de pão

Decepar a cana

Recolher a garapa da cana

Roubar da cana a doçura do mel, se lambuzar de mel

Afagar a terra

Conhecer os desejos da terra

Cio da terra a propícia estação, e fecundar o chão


Preta Pretinha

Moraes Moreira - Galvão

   (A7                       D)

Enquanto eu corria, assim eu ia

Lhe chamar enquanto corria a barca                  (2x)

Por minha cabeça não passava

Só, só, somente só

Assim vou lhe chamar, assim você vai ser             (2x)

   G      Gm  F#m    B7  E

Lá iá lá lá iá,  lá lá lá iá, lá iá

A7      G        D

Preta, preta, pretinha                                (4x)

       (A7          D)

Abre a porta e a janela e vem ver o sol nascer         (2x)

Eu sou um pássaro que vivo avoando

Vivo avoando sem nunca mais parar

Ai, ai, ai, ai saudade não venha me matar             (2x)


Meninas do Brasil

Moraes Moreira - Fausto Nilo

Intr.: ( E  E7M  E7  A6  G#m  F#m  A/E  Eb°  B7 )

E       E7M          E7                      A6

Três meninas do Brasil, três corações democratas

        G#m         F#m           A/E    Eb°

Tem moderna arquitetura ou simpatia mulata

          B7               E            C#7           F#m

Como um cinco fosse um trio, como um traço um fino fio

      F#7        F#m                B7

No espaço seresteiro da elétrica cultura

Deus me faça brasileiro, criador e criatura

Um documento da raça pela graça da mistura

Do meu corpo em movimento, as três graças do Brasil

       B7            E

Têm a cor da formosura

Se a beleza não carece de ambição e escravatura

E a alegria permanece e a mocidade me procura

Liberdade é quando eu rio na vontade do assobio

Faço arte com pandeiro, matemática e loucura

REFRÃO

Serenatas do Brasil, eu serei três serenatas

Uma é o coração febril, a outra é o coração de lata

A terceira é quando eu crio na canção um desafio

Entre o abraço do parceiro e um pedaço de amargura

REFRÃO

Se eu ganhasse o mundo inteiro, de Amélia a Doralice

De Emília a Carolina, e os mistérios de Clarice

Se teu nome principia, Marina no amor Maria

Só faria melodias com a beleza das meninas

REFRÃO

Quando o povo brasileiro viu Irene dar risada

Clementina no terreiro restaurando a batucada

Muito além de um quarto escuro, nos olhos da namorada

Eu sonhava com o futuro das meninas do Brasil

REFRÃO


Lá vem o Brasil Descendo a Ladeira

Pepeu Gomes - Moraes Moreira

Intr.: ( D  Bm  A7 )

D               Bm                    A7

Quem desce do morro não morre no asfalto

                              D

Lá vem o Brasil descendo a ladeira

Na bola, no samba, na sola, no salto

Lá vem o Brasil descendo a ladeira

Da sua escola é passista primeira

Lá vem o Brasil descendo a ladeira

No equilíbrio da lata não é brincadeira

Lá vem o Brasil descendo a ladeira

         C#7          C7     B7

E toda cidade que andava quieta

                                   Em

Naquela madrugada acordou mais cedo

               F#              Bm

Arriscando um verso gritou o poeta

              E                     A7

Respondeu o povo num samba sem medo

       D        C#7         C7       B7

E enquanto a mulata em pleno movimento

                                Em

Com tanta cadência descia a ladeira

              Gm               D

A todos mostrava naquele momento

   B7        Em        A7       D

A força que tem a mulher brasileira


Pombo Correio

Dooble Morse

Intr.: ( D7  Gm  F  Eb  D7 )  D/C  G/B  D7

           G

Pombo correio voa depressa

                                D7

E esta carta leva para o meu amor

        B7                        Em

Leva no bico que eu aqui fico esperando

         A7                             D7

Pela resposta que é prá saber se ela ainda gosta de mim

           G

Pombo correio se acaso um desencontro

        E7                          A7

Acontecer não perca nem um só segundo

       Cm6              Bm7   Em

Voar o mundo se preciso for

          Am7          D7       G

O mundo voa mas me traga uma notícia boa

           G

Pombo correio voa ligeiro

                                         D7

Meu mensageiro e essa mensagem de amor

        B7                      Em

Leva no bico que eu aqui fico cantando

                 A7

Que é prá espantar essa tristeza

            D7

Que a incerteza que o amor traz

           G

Pombo correio nesse caso eu lhe conto

           E7                         Am

Por estas linhas a que ponto quer chegar

         Cm6            Bm7    Em

Meu coração o que mais gosta

           Am7          D7        G

Voltar prá mim seria assim a melhor resposta


A Lua

Renato Rocha

Intr.: (G7M  Bm7)

(G7M    Bm7)

A lua,  quando ela roda é nova, crescente ou meia lua, é cheia

                   F#7               Am7              G7M

E quando ela roda minguante e meia, depois é lua novamente, bis

(Bm7           G7M)

Quando ela roda é nova crescente ou meia lua, é cheia

                   F#7               Am7

E quando ela roda minguante e meia, depois é lua nova

(G7M                        A7)

Mente quem diz que a lua é velha

                                 G7M         Bm7    G7M    Bm7

Mente quem diz que a lua é velha, mente quem diz


Vira Virou

Obs. : D5-/6 = D (Ab, B, G)

Gbm               D5-/6

Vou voltar na primavera,

     E7                  A

Que era tudo que eu queria

C#7   D     E7      A

Levo terra nova daqui

Quero ver o passaredo

Pelos portos de Lisboa

Voa, voa, que eu chego já

Gbm                    D5-/6

Mas se alguém segura o leme

C#7                 Gbm

Dessa nave incandescente

F                   D7M

Que incendeia minha vida

     E7          A

Que era viajante lenta

A7                 D7M

Tão faminta da alegria

C#7                D7M

Hoje é porto de partida

A   E     Gbm           B   D      E

Ah, vira, virou, meu coração navegador

D7M   C#7    Gbm        E  A

Ah,   gira, girou essa galera


Amigo é prá Essas Coisas

Sílvio da Silva Jr. - Aldir Blanc

Intr.: Dm7

  Dm7                                                      Bb7/11+

- Salve !                                       - Como é que vai ?

           A5+/7   Dm7                                     Bb7/11+

- Amigo, há quanto tempo !                      - Um ano ou mais...

          A5+/7   Am7    Am6                              Am5-/7

- Posso sentar um pouco ?                      - Faça o favor

        D7/9+  Gm7                              Am5-/7       D7

- A vida é um dilema                            - Nem sempre vale a pena...

  Gm7                                                      Bb/C

- Pô...                                         - O que é que há ?

           C9-   F7M                                            Dm7

- Rosa acabou comigo                          - Meu Deus, por quê ?

                                                     Bb7/11+

- Nem Deus sabe o motivo                       - Deus é bom

                      A7                                                    Dm7

- Mas não foi bom prá mim                      - Todo amor um dia chega ao fim

  Dm7                                                      Bb7/11+

- Triste                                        - É sempre assim

        A5+/7    Dm7                                          Bb7/11+

- Eu desejava um trago                         - Garçom, mais dois

               A5+/7   Am7   Am6                         Am5-/7

- Não sei quando eu lhe pago                    - Se vê depois

         D7/9+   Gm7                       Am5-/7        D7

- Estou desempregado                          - Você está mais velho

  Gm7                                                Bb/C

- É                                            - Vida ruim

            C9-    F7M                                     Dm7

- Você está bem disposto                       - Também sofri

                                                    Bb7/11+

- Mas não se vê no rosto                        - Pode ser...

                A7                                                       D7M

- Você foi mais feliz                             - Dei mais sorte com a Beatriz

                                            B7

- Pois é                                        - É o quê ?

                    E9   F#m5-/7                        B7

- Prá frente é que se anda                       - Você se lembra dela ?

  Em7                                                     C#m5-/7

- Não                                         - Lhe apresentei

           F#7    Bm7

- Minha memória é fogo !                        - E o l'argent ?

                   Em7                                  

- Defendo algum no jogo                         - E amanhã ?

                  F#m7                                     F#m-5/7

- Que bom se eu morresse !                      - Prá quê, rapaz ?

     B7         Em7                                   A6/7

- Talvez Rosa sofresse                          - Vá atrás !

                      D9     A7                                                Dm7

- Na morte a gente esquece                     - Mas no amor a gente fica em paz

                                                           Bb7/11+

- Adeus                                       - Toma mais um

       A5+/7   Dm7                                        Bb7/11+

- Já amolei bastante                           - De jeito algum !

          A5+/7   Am7   Am6                                  Am5-/7

- Muito obrigado, amigo                         - Não tem de quê

          D7/9-    Gm7   Am5-/7                             D7     Gm7

- Por você ter me ouvido                        - Amigo é prá essas coisas

                                                            Bb/C

- Tá...                                         - Tome um cabral

         C9-   F7M                                       Dm7

- Sua amizade basta                           - Pode faltar

    Dm/C               Bb7/11+    A5+/7   Dm7

- O apreço não tem preço, eu vivo ao deus-dará


O Patrão Nosso de Cada Dia

João Ricardo

Intr.: G/B  Gm/Bb  G/A  A7  D  D4

D             C             G               D4    D

Eu quero o amor da flor de cactos, ela não quis

             C            G           D        C

Eu dei-lhe a flor de minha vida, vivo agitado

           D           C               D       C

Eu já não sei se sei de tudo ou quase tudo

              G                    D4    D   ( D  F  G  D  D4  D )

Eu só sei de mim, de nós, de todo mundo

Eu vivo preso à sua senha, sou enganado

Eu solto o ar no fim do dia, perdi a vida

Eu já não sei se sei de nada ou quase nada

Eu só sei de mim, só sei de mim, só sei de mim      SOLO

O patrão nosso de cada dia, dia após dia

O patrão nosso de cada dia, dia após dia

O patrão nosso de cada dia, dia após dia

O patrão nosso de cada dia                          SOLO

FINAL: G/B  Gm/Bb  D


Sangue Latino

Intr.: ( D  G )

( D        G )

Jurei mentiras e sigo sozinho, assumo os pecados

A7             G                 ( D         G )

Os ventos do norte não movem moinhos

E o que me resta é só um gemido

Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos,

Meu sangue latino, minha alma cativa

A7         G            ( D      G )

Rompi tratados, traí os ritos

Quebrei a lança, lancei no espaço

Um grito, um desabafo

A7             G                   ( D      G )

E o que me importa é não estar vencido

Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos,

                                  G  D   G   D/F#  Em   D

Meu sangue latino, minha alma cativa


Bandoleiro

Lucinha - Luli

Intr.: ( Am  Em7 )  ( C  F )  G7

(C  F)                         G

Fossem ciganos a levantar poeira

                  F

A misturar nas patas

                                          E

Terras de outras terras, ares de outras matas

   F          C                G

Eu, bandoleiro no meu cavalo alado

                  F

Na mão direita o fado

                                     E

Jogando sementes nos campos da mente

(Am   Em7)

E se falasses magia, sonho e fantasia

E se falasses encanto, quebranto e condão

F              E              D                     (Am   Em7)

Não te enganarias, não te enganarias, não te enganarias, não

INTRODUÇÃO

REPETE

E se falasses magia, sonho e fantasia

E se falasses encanto, quebranto e condão

Feitiço, transe, viagem, alucinação, miragem


Balada do Louco

Arnaldo Batista - Rita Lee

Eb°          G/B   G   Eb°         G/B   G

Dizem que sou louco    por pensar assim

Se eu sou muito louco por eu ser feliz

Em   Em/D    C#m7/5-   C

Mas louco é quem me diz

      G    C/D       G

E não é feliz, não é feliz

Se eles são bonitos, sou Alain Delon

Se eles são famosos, sou Napoleão

Mas louco é quem me diz

E não é feliz, não é feliz

G7          C

Eu juro que é melhor

G7             C

Não ser o normal

G7               A7                D7   C   G/B   Am    G

Se eu posso pensar que Deus sou eu

Se eles têm três carros, eu posso voar

Se eles rezam muito, eu já estou no ar

Mas louco é quem me diz

E não é feliz, não é feliz

REFRÃO

Sim sou muito louco, não vou me curar

Já não sou o único que encontrou a paz

Mas louco é quem me diz

E não é feliz, eu sou feliz


Bandolins

Oswaldo Montenegro

Intr.: Gm  Gm/F  Em5-/7  Cm/Eb  C  G/B  E7

Am              Am/G               F#m7/5-

Como fosse um par que nessa valsa triste

           Dm/F                     Am

Se desenvolvesse ao som dos bandolins

        Am/G                Dm

E como não, e por que não dizer

                         G                      C

Que o mundo respirava mais se ela apertava assim

    C7M   Em     Bm     E7        F

Seu colo e como se não fosse um tempo

          Dm       E7                  Am

Em que já fosse impróprio se dançar assim

       Am/G             F#m7/5-

Ela teimou e enfrentou o mundo

        Dm/F               Am        Am/G     F#m7/5-    Dm/F

Se rodopiando ao som dos bandolins

Am             Am/G                 F#m7/5-

Como fosse um lar, seu corpo a valsa triste iluminava

    Dm/F               Am

E a noite caminhava assim

           Am/G                   Dm

E como um par, o vento e a madrugada iluminavam

   G                  C

A fada do meu botequim

   C7M   Em     Bm     E7   F

Valsando como valsa uma criança

    Dm       E7                 Am

Que entra na roda a noite tá no fim

      Am/G              F#m7/5-

Ela valsando só na madrugada

              Dm/F             Am         Am/G     F#m7/5-     Dm/F   (D)

Se julgando amada ao som dos bandolins


Agonia

Mongol

Intr.: C  G/B  Gm/Bb  A7  Dm  Bb  G7

G7             C           C/E

Se fosse resolver iria te dizer

Eb°          Dm

Foi minha agonia

                      G7                           G#°

Se eu tentasse entender, por mais que eu me esforçasse

G7          C

Eu não conseguiria

Dm    G7       C            Gm

E aqui no coração eu sei que vou morrer

C7          F7M

Um pouco a cada dia

F#°              C   C/E  Eb°         Dm

E sem que se perceba  a   gente se encontra

G7                C

Prá uma outra folia

                    C (D)                   C/E (D/F#)

Eu vou pensar que é festa, vou dançar, cantar

Eb° (F°)    Dm (Em)

É  minha   garantia

           G7 (A7)            G#° (A#°)  G7 (A7)           C (D)

E vou contagiar diversos corações      com minha euforia

Dm (Em)    G7 (A7)    C (D)                 Gm (Am)

E a   amargura e o  tempo vão deixar meu corpo

       C7 (D7)     F7M (G7M)

Minha alma     vazia

F#° (G#°)        C (D)   C/E (D/F#)   Eb° (F°)   Dm (Em)

E sem que se perceba   a        gente se encontra

G7 (A7)           C (D)

Prá uma outra folia

1ª vez: INTRODUÇÃO

2ª vez: E  F#


Intuição

Oswaldo Montenegro - Ulysses Machado

C                     F               G            C

Canta uma canção bonita falando da vida em ré maior

Bb                      F           C                    G

Canta uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhor

C                        E                       Am                  Eb°

Canta uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé no chão

G                       C              G

Canta uma canção daquela, pula da janela, bate o pé no chão

C                        E               Am                Eb°

Sem o compromisso estreito de falar perfeito, coerente ou não

G                 C                    G                   C

Sem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão

C                     F                G         C

Canta o que não silencia, é onde principia a intuição

  Bb                    F                 C                 G

E nasce uma canção rimada da voz arrancada o nosso coração

C                    E                    Am                 Eb°

Como sem licença, o sol rompe a barra da noite sem pedir perdão

G                    C               G                 C

Hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chão

A                        D                A                   D

Sem o compromisso estreito de falar perfeito, bate o pé no chão

Sem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão

E                     A               B            E

Canta uma canção bonita falando da vida em ré maior

D                      A            E                    B

Canta uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhor

E                        G#                      C#m                

Canta uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé no chão

  B                    E              B                  A     E

E hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chão


Lua e Flor

Oswaldo Montenegro

Intr.: D  A/C#  G/B  C  G  D  D5+  Bm  Bm7  E7  G  F#m7  Em7  A

      D                        A/C#

Eu amava como amava um cantor

          G           C     G    D        D5+

De qualquer clichê, de cabaré, de lua e flor

      Bm          Bm7       A7

Eu sonhava como a feia na vitrine

                      D               A7

Como carta que se assina em vão

      D                          A/C#

Eu amava como amava um sonhador

        G              C     G     D        F#7

Sem saber porque, e amava ter no coração

     Bm      Bm7         A7

A certeza ventilada de poesia

                   D         A7

De que o dia amanhece não

      D                    Am7         D7

Eu amava como amava um pescador

          G                                 Gm

Que se encanta mais com a rede que com o mar

      D   Bm               Em7

Eu amava como jamais poderia

       A7           G         D

Se soubesse como te encontrar

REPETE

       A7          G/B        C    G    D

Se soubesse como te encontrar


O Condor

Oswaldo Montenegro

Intr.: G

G                      C                 G

Quando voa o condor, com o céu por detrás

                      C                 D

Traz na asa o sonho, com o céu por detrás

G                 G7      C                 A

Voa condor, voa condor, que a gente voa atrás

G      D/F#    C     A7                G

Voa atrás do sonho com o céu por detrás

G         C                G    C     A                  D

Ah!, que vôo do condor no sol trace a linha da nossa paixão

    G                   F               Am7                D

Eu quero que seja mostrada no meio da rua e rolando no chão

G           C                   G    C       A7                D

Ah!, que a gente despedace em luz, ah, que Deus seja o que quiser

G                      F               C                  D7

Explode a cabeça com olho de bicho e com coração de mulher

REFRÃO

        C                     G   C      A               D

Ah!, se fosse como a gente quer, ah, e se o planeta explodir

    G                  F                  C                       D7

Eu quero que seja em plena manhã de domingo que eu possa assistir

A          F#m                   Bm7      G                  E

Ah!, que a miserável condição da raça humana procurando o céu

   A                 G                  D                     E

Levanta a cabeça e ao levantar por encanto escorregue seu véu

A                      D                 A

Quando voa o condor, com o céu por detrás

                       D                E

Traz na asa o sonho, com o céu por detrás

A                              D             A

Voa condor, voa condor, que a gente voa atrás

A      E/G#    D      B                A

Voa atrás do sonho com o céu por detrás


Um Violeiro Toca

Almir Sater - Renato Teixeira

Intr.: G  F  C

C                   C7M                Dm

Quando uma estrela cai no escurão da noite

F

E um violeiro toca suas mágoas

G

Então os olhos dos bichos vão ficando iluminados

F                                  G         F

Rebrilham neles estrelas de um sertão enluarado

Quando o amor termina perdido numa esquina

E um violeiro toca a sua sina

Então os olhos dos bichos vão ficando entristecidos

Rebrilham neles lembranças dos amores esquecidos

Quando o amor começa nossa alegria chama

E um violeiro toca em nossa cama

Então os olhos dos bichos são os olhos de quem ama

F                                       G        F   C

Pois a natureza é isso, sem medo, nem dó, nem drama

C          C7M                             G

Tudo é sertão, tudo é paixão se um violeiro toca

Dm          F                C       G    F    G    C

A viola, o violeiro e o amor se tocam


Caleidoscópio

Herbert Vianna

G                        C7/9

Não é preciso apagar a luz

                         G

Feche os olhos e tudo bem

                         C7/9

Num caleidoscópio sem lógica

                            C7/9

Eu quase posso ouvir a tua voz

                            G

Eu sinto a tua mão a me guiar

                            C7/9

Pela noite a caminho de casa

            Am7 

       Quem vai pagar as contas desse amor pagão

                                Bm7

       E ter dar a mão e trazer à tona pra respirar

         D7

       E vai chamar meu nome onde escutar

G                         C7/9

Me pedindo para apagar a luz

                          G

Amanheceu, é hora de dormir

                          C7/9

Nesse nosso relógio sem órbita

G                         C7/9

Se tudo tem que terminar assim

                          G

Que pelo menos seja até o fim

                                   C7/9

Pra gente não ter nunca mais que lembrar


Romance Ideal

Herbert Vianna - Martin Cardoso

 (E G#m F#m A7+)

Ela é só uma menina

E eu pagando pelos erros

que eu nem sei se cometi

Ela é só uma menina

E eu deixanado que ela faça

o que bem quiser de mim

       F#M            A7+      C#m7     G#m7    G#m7    A7+

       Se eu queria enlouquecer essa é a minha chance

       Am7             E    E7/4    E7

       E tudo que eu quis

       F#m             A7+       C#m7

       Se eu queria enlouquecer

           G#m7   F#m7      A7+ Am7

       Esse é o romance ideal

(E G#m F#m A7+)

Não pedi que ela ficasse

Ela sabe que na volta

Ainda vou estar aqui

Ela é só uma menina

E eu pagando pelos erros

Que eu nem sei se cometi


Lanterna dos Afogados

Herbert Vianna

 (B  C#/B  Bbm  Ebm)

Quando tá escuro e ninguém te ouve

Quando chega a noite e você pode chorar

Há uma luz no túnel dos desesperados

Há um cais do porto pra quem precisa chegar

Eu tô na lanterna dos afogados

Eu tô te esperando, vê se não vai demorar   E5/9

(B  C#/B  Bbm  Ebm)

Uma noite longa por uma vida curta

Mas já não me importa basta poder te ajudar

E são tantas marcas que já fazem parte

Do que sou agora  mas ainda sei me virar

Eu tô na lanterna dos afogados

Eu tô te esperando  vê se não vai demorar   E5/9

(B  C#/B  Bbm  Ebm)

Uma noite longa por uma vida curta

Mas já não me importa, basta poder te ajudar

Eu tô na lanterna dos afogados

Eu tô te esperando...


A Novidade

Gilberto Gil - Boao Barone - Herbert viana - Bi Ribeiro

 (G  D  C)

A novidade veio dar a praia

Na qualidade rara de sereia

Metade o busto de uma deusa maia

Metade um grande rabo de baleia

A novidade era o máximo

Do paradoxo escondido na areia

Alguns a desejar seus beijos de deusa

Outros a desejar seu rabo pra ceia

G7+          Em7/9

O mundo tão desigual

            D

Tudo é tão desigual

       C7+

O, o, o, o...

G7+              Em7/9

De um lado esse carnaval

               D

De outro a fome total

       C7+

O, o, o, o...

(G  D  C)

E a novidade que seria um sonho

O milagre risonho da sereia

Virava um pesadelo tao medonho

Ali naquela praia, ali na areia

A novidade era a guerra

Entre o feliz poeta e o esfomeado

Estraçalhando uma sereia bonita

Despedaçando o sonho pra cada lado

G7+         Em7/9

Ô Mundo tão desigual...

(G  D  C)

A Novidade era o máximo...

G7+         Em7/9

Ô Mundo tão desigual...


Você

Tim Maia

  A            Bm

Você é algo assim

            C#m

É tudo pra mim

               Bm

É como eu sonhava, baby

  A                    Bm

Você é mais do que eu sei

                  C#m

É mais do que pensei

                    Bm

É mais que eu esperava, baby

A         Bm

Sou feliz agora

A           Bm        C#m  Bm  C#m  Bm  C#m  E

Não, não vá embora, não

  A            Bm

Você é algo assim

            C#m

É tudo pra mim

               Bm

É como eu sonhava, baby

  A                    Bm

Você é mais do que eu sei

                  C#m

É mais do que pensei

                    Bm

É mais que eu esperava, baby

A         Bm

Sou feliz agora

A           Bm

Não, não vá embora, não

A         Bm

Sou Feliz agora

A           Bm

Não, não vá embora, não

A                Bm

Vou morrer de saudades...


O Beco

Herbert Vianna - Bi Ribeiro - Joao Barone

 (Bm  A)

No beco escuro explode a violência

Eu tava preparado

Descobri mil maneiras de dizer o teu nome

Com amor, ódio, urgência

Ou como se não fosse nada

No beco escuro explode a violência

Eu tava acordado

Ruinas de igrejas, seitas sem nome

Paixão, insônia, crença, liberdade vigiada

No beco escuro explode a violência

No meio da madrugada

Com amor, com ódio, urgência

Ou como se não fosse nada

Mas nada perturba o meu sono pesado

Nada levanta aquele corpo jogado

Nada atrapalha aquele bar ali na esquina

Aquela fila de cinema

Nada mais me deixa chocado

Nada


Assaltaram a Gramática

Hebert Vianna

Intr.: C#m   E   B

E                  C#m       E

Assaltaram a gramática

                 C#m       A

Assassinaram a lógica

             F#m                G#m  F#m

Meteram poesia, na bagunça do dia-a-dia

E

Seqüestraram a fonética

Violentaram a métrica

                             G#m   F#m    E

Meteram poesia onde devia e não devia

C#m            G#m

Lá vem o poeta com sua coroa de louro

G#                A

Agrião, pimentão, boldo

    F#m        G#m        C#m

O poeta é a pimenta do planeta

Malagueta


Uma Brasileira

A        E

Rodas em sol, trovas em do

  F#m          C#m

Uma brasileira, o

   F#m            C#m

Uma forma inteira, o

 D   C#m  Bm   E

You, you, you

 A

Nada de mais

 E

Nada através

    F#m          C#m

Uma légua e meia, o

    F#m            C#m

Uma brasa incendeia, o

 D   C#m  Bm

You, you, you

 D           E   

Deixa o sal do mar

       F#m         B7

Deixe tocar aquela canção

        D E | D E | D C#m | F#m | Bis

One more time

   A

Tatibitate

   E

Trate-me, trate

  F#m             C#m

Como um candeeiro, o

  F#m        C#m  D  C#m Bm

Somos do interior do milho

 D          E  

E esse ao de são

       F#m            B7

Hei de cantar naquela canção

        D E | D E | D C#m | F#m | Bis

One more time


Saber Amar

C       D       Am    F6

A crueldade de que se é capaz

        Dm              F

Deixar pra traz os corações partidos

C         G         Am    F6

Contra as armas do ciúme tão mortais

    Dm

A submissão às vezes e um abrigo

   C  G    Am      F6

Saber amar     e saber deixar  |

   Dm   F                      |   BIS

Alguém te amar                 |

C        G         Am    F6

Há quem não veja a onda onde ela está

      Dm

E nada contra o rio

C     G          Am       F6

Todas as formas de se controlar alguém

Dm           F

Só trazem um amor vazio

   C    G  Am

Saber amar    e saber deixar   |

    Dm  F                      |  BIS

Alguém te amar                 |

G           C/G   G

O amor te escapa entre os dedos

F/A

E o tempo escorre pelas mãos

  E4/7/9/12    E7/9-

O sol já vai se por no mar


Linda Juventude

Flávio Venturini - Márcio Borges

Intr.: ( E  E  E  F#  G )   A  B

C           D     G     C          D      G

Zabelê, zumbi, besouro, vespa fabricando mel

C              D     Bm      G    Am         Bm   Em

Guardo teu tesouro, jóia marrom, raça como nossa cor

C            D     G    C            D    G

Nossa linda juventude, página de um livro bom

C               D    Bm     C   Am          Bm    C

Canta que te quero cais e calor, claro como o sol raiou

Am            Bm   C

Claro como o sol raiou

C     G   D     Am             Bm  C         D

Maravilha, juventude, pobre de mim, pobre de nós

   Am     Bm          C  Am  G  Em  Am   G  Em     D

Via Láctea, brilha por nós, vi...das pe..que..nas da esquina

C           D     G     C              D    G

Fado, sina, lei, tesouro, canta que te quero bem

C               D   Bm      G   Am            Bm      Em

Brilha que te quero luz andaluz, massa como o nosso amor

C            D     G     C           D     G

Nossa linda juventude, página de um livro bom

C             D   Bm      C  Am           Bm   G

Canta que quero cais e calor, claro como o sol raiou

Am            Bm   Em

Claro como o sol raiou

C     G   D     Am             Bm  C       D

Maravilha, juventude, tudo de mim, tudo de nós

   Am     Bm          C  Am  G  Em  Am  G  Em    D

Via Láctea, brilha por nós, vi...das bo..ni..tas da esquina


Planeta Sonho

F. Venturini - Vermelho - Márcio Borges

Intr.: Dm  Am  Bb  C  F,  Dm  Am  Bb  C7

Dm       Am            Bb   C7     Dm

Aqui ninguém mais ficará depois do sol

Bb          F           Dm        A

No final será o que não sei mas será

Bb        F          Bb          F  Dm        C7            F    Bb

Tudo demais, nem o bem, nem o mal, só o brilho calmo dessa luz

           A          Dm   C   F             A         Dm   C    F

O planeta calma será Terra,       o planeta sonho será Terra

       Gm         Am              Dm            Gm

E lá no fim daquele mar a minha estrela vai se apagar

           C7  Gm           C7    Dm

Como brilhou, fogo solto no caos

Aqui também é bom lugar de se viver

Bom lugar será o que não sei mas será

Algo a fazer, bem melhor que a canção mais bonita que alguém lembrar

A harmonia será Terra, a dissonância será Terra

E lá no fim daquele azul os meus acordes vão terminar

Não haverá outro som pelo ar

O planeta sonho será Terra, a dissonância será bela           1

E lá no fim daquele mar a minha estrela vai se apagar

                             C7

Como brilhou, fogo solto no caos

INTRODUÇÃO

REPETE 1

(A  G/A)

INTRODUÇÃO


Nova Manhã

F. Venturini - Vermelho - Tavinho Moura

G                     C                    D7                  G

Para melhor a gente compreender o que feriu sem parar e te levou

G                      C                     D7                        G

Nenhum lugar e nada para falar, o que ficou de nós dois não faz sentido

       G         C/G          Cm/G        G

Procurei não pensar, me tranquei sem querer

        G7           C      Cm    D7

Num lugar que nem sei, solidão

      G        C/G     Cm/G       G

É distante demais uma nova manhã

       G7            C       Cm     D7

E nem sei quando virá, mas virá

Era melhor a gente não conhecer o que passou a chamar felicidade

Nenhum lugar e nada para falar o que ficou de nós dois pela cidade

Em   C   G   Em   A7   D7   Cm7   Dm7   D7

Em       C        G    Em   A7    D7

Já não tem mais jeito, perdi a razão

     Cm7   Dm7          Am7   D7

Tudo novo, corpo livre sem sono

Em      C    G    Em    A7    D7

É como o silêncio que veio morar

        Cm7   Dm7             Am7     D7

Nesse quarto, corpo livre e sem sono


Todo Azul do Mar

Flávio Venturini - Ronaldo Bastos

E/A    A         D/A    E

Foi assim, como ver o mar

C#m7       D               A       Bm             E4/7     E7

A primeira vez que os meus olhos se viram no seu olhar

Não tive a intenção de me apaixonar

Mera distração e já era momento de se gostar

D7M     E/D  A           D           A/E

Quando eu dei por mim nem tentei fugir

   Bm       C#/F    F#m  B4/7      B7    E4/7     E7

Do visgo que me prendeu dentro do seu olhar

Quando eu mergulhei no azul do mar

Sabia que era amor e vinha prá ficar

Daria prá pintar todo azul do céu

Dava prá encher o universo da vida que eu quis prá mim

Tudo que eu fiz foi me confessar

Escravo do teu amor, livre para amar

Quando eu mergulhei fundo nesse olhar

Fui dono do mar azul, de todo azul do mar

(E/A    A